Tamanho do texto

Usuária disse que acordou mais cedo e se preparou para a paralisação, mas que funcionamento estava normal na estação: "achei que não ia ter nada"

Estação Santo André Trem
Reprodução/Marina Teodoro
Funcionamento no terminal de trens de Santo André foi normal nesta sexta-feira

A greve geral convocada por diversas centrais sindicais, que prometia parar a cidade de São Paulo nesta sexta-feira (14), teve reflexos bastante distintos em cada uma das regiões da capital paulista. Para uns, a paralisação ficou abaixo do esperado, enquanto outros tiveram muitos problemas para conseguir chegar ao trabalho.

Leia também: Em dia de greve geral, transporte em São Paulo tem operação parcial; acompanhe

"Cheguei bem mais cedo na estação de trem porque achei que não ia encontrar nada funcionando, mas fiquei surpresa quando vi que estava tudo normal. Achei que ia ter greve de verdade", disse Sofia Barbosa, de 39 anos, em entrevista à reportagem do iG na estação Prefeito Celso Daniel - Santo André da Linha 10-Turquesa.

Por outro lado, quem dependia do funcionamento das linhas de metrô acabou tendo problemas. Mesmo com algumas estações abertas, o buraco causado pelo fechamento de outras fez com que muita gente ficasse sem saber o que fazer.

"Não sei como vou fazer para chegar no trabalho", fala Alice Pereira Soto, de 23 anos, que mora em Mauá e trabalha na Vila Prudente. Para chegar, ela deveria pegar o trem e fazer a transferência para a linha 2-Verde do metrô em Tamanduateí, mas essa ligação está fechada.

Leia também: Bolsonaro enfrenta 1ª greve geral, que mira enfraquecer reforma; siga ao vivo

Na região do ABC Paulista, Gente, os trólebus, que ligam Santo André até Diadema, São Paulo e são Bernardo, funcionaram normalmente durante toda a manhã.