Tamanho do texto

Prefeitura promete monitorar a situação do trânsito durante todo o dia e mantém restrição a veículos com placas finais 9 e 0 mesmo com após anúncios de greve geral que pode afetar o transporte público

Trânsito em São Paulo
Futura Press
Prefeitura decide manter o rodízio em São Paulo nesta sexta-feira mesmo com a greve geral


O rodízio em São Paulo para veículos com placas finais 9 e 0 está mantido para esta sexta-feira (14) mesmo com a confirmação da greve geral que deve afetar o transporte público na cidade. A decisão da prefeitura mudou durante a tarde. Em princípio, a restrição a carros estava cancelada.

Além do rodízio em São Paulo , também está mantida  a Zona Máxima de Restrição a Fretados e as regras de utilização da Zona Azul em toda a cidade. A Prefeitura informa que os agentes da Companhia de Engenharia de Transporte (CET) estão autorizados a multarem motoristas que infringirem as normas.

Leia também: Centrais mantêm greve mesmo após decisão da Justiça; veja o que deve parar em SP

A greve geral que acontecerá nesta sexta-feira (14) em todo o Brasil contra a Reforma da Previdência proposta pelo governo de Jair Bolsonaro (PSL) pretende afetar diversos serviços da capital paulista, como transportes, bancos e escolas.

A ação pretende barrar o projeto que está em análise no Congresso, além de cobrar mais empregos e protestar contra o corte de verbas em instituições públicas de ensino do País.

Leia também: Greve Geral! Centrais sindicais prometem parar o país nesta sexta-feira

As linhas do Metrô e da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) devem operar parcialmente durante o dia. Apesar de a Justiça ter determinado, no último dia 12, que os trabalhadores mantenham a operação em São Paulo, segundo os sindicatos, algumas linhas não devem operar normalmente.

A previsão é de que as linhas 7-Rubi, 10-Turquesa, 11-Coral e 12-Safira da CPTM e as linhas 1-Azul (deve operar da Luz à Ana Rosa), 2-Verde (operação deve ser do Alto do Ipiranga até Clínicas), 3-Vermelha (deve operar da Bresser-Mooca até Marechal Deodoro) e 15-Prata do Metrô estejam com operação reduzida.  

Leia também: Greve de motoristas atinge 367 mil usuários de ônibus na Grande SP

As linhas 8-Diamante, 9-Esmeralda e 13-Jade, da CPTM, foram liberadas para decidirem se param ou não. Já as linhas 4-Amarela e 5-Lilás, do Metrô, funcionarão normalmente, já que são operadas pela iniciativa privada.

Segundo o sindicato dos motoristas e trabalhadores de ônibus, os cerca de 14 mil ônibus municipais também devem sofrer paralisação nesta sexta. A Secretaria dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo informou que está trabalhando para que haja transportes para todos e, provavelmente, a Operação Paese deverá ser acionada. 

Os sindicatos ainda devem se reunir no final desta quinta-feira (13), para determinar como será o funcionamento dos transportes na sexta e confirmar adesão, ou não, à greve. A multa para os que não cumprirem a determinação da Justiça e aderirem à greve será de R$ 100 mil por dia. Pela indecisão, a prefeitura manteve o rodízio em São Paulo .