Tamanho do texto

Governador anunciou início de testes com barcos coletores de resíduos flutuantes e prometeu "rio sem poluição e margens tratadas" em quatro anos

Doria e Covas
Governo do Estado de São Paulo/Divulgação
João Doria e Bruno Covas durante passeio pelo Rio Pinheiros nesta quarta-feira, em São Paulo

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou nesta quarta-feira (5) – Dia Mundial do Meio Ambiente – o início da operação de dois barcos coletores de resíduos flutuantes para testes no Rio Pinheiros, um dos principais que cortam a capital paulista. O tucano prometeu a despoluição completa do rio até dezembro de 2022.

Leia também: Vereador propõe lei que obriga alunos e seus pais a reformarem escolas em SP

"Este rio será recuperado. Em quatro anos, até 2022, toda essa área será despoluída. Teremos um rio sem poluição, as margens tratadas e recuperadas", celebrou Doria durante navegação pelo Rio Pinheiros ao lado do prefeito Bruno Covas (PSDB) e do secretário de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido.

De acordo com o governo paulista, o projeto de despoluição será custeado parte com recursos do Estado e parte com recursos privados a partir da "concessão de algumas áreas" para a exploração do transporte turístico de passageiros do Rio Pinheiros .

Os chamados ecoboats que começaram a operar hoje no rio vão operar durante 30 dias em fase de testes – sem custos para o governo. Caso a tecnologia seja aprovada, a Empresa Metropolitana de Águas e Energia  (Emae) vai avaliar a aquisição dos barcos em definitivo.

Leia também: Weintraub toca música de Luiz Gonzaga na gaita para provar origem nordestina

Além do projeto de aquisição dos barcos, o governo paulista também instalou ecobarreiras ao longo do curso do rio para reter materiais flutuantes. De acordo com o Palácio dos Bandeirantes, a iniciativa já possibilitou o recolhimento de 133 toneladas de detritos de março até agora.