Tamanho do texto

Até o momento, 199 pessoas foram presas, sendo 177 por homicídios e 22 por feminicídios; além destes, outros sete adolescentes foram apreendidos

Prisão
Divulgação/Policia Civil-RJ
Só no estado do Rio de Janeiro, mais de 40 pessoas já foram presas na operação

Mandados de prisão contra acusados de homicídio efeminicídio estão sendo cumpridos, nesta terça-feira (28), em 21 estados e no Distrito Federal na segunda fase da Operação Cromos . Os alvos são foragidos da Justiça. Até o momento, 199 pessoas foram presas, sendo 177 por homicídios e 22 por feminicidios. Sete adolescentes foram apreendidos.

Leia também: Prefeitura conclui demolição de prédio ameaçado de desabar na Muzema

A operação tem apoio do do Ministério da Justiça e Segurança Pública, sendo coordenada pelo Conselho Nacional de Chefes de Polícia Civil (CONCPC). Um balanço do número de foragidos encaminhados para a prisão será divulgado no final da manhã.

No Rio de Janeiro, até as 10 horas, policiais civis já haviam prendido 40 pessoas. Em Santa Catarina, onde ao menos 128 agentes participam da ação, 16 mandados judiciais foram cumpridos até o mesmo horário.

O Distrito Federal conta com mais de 100 policiais civis cumprem parte dos mandados de prisão em aberto. A Polícia Civil não informou quantos mandados espera cumprir no Distrito Federal, mas mais detalhes da operação nacional serão apresentados as 11 horas, durante entrevista no Ministério da Justiça e Segurança Pública, em Brasília.

No estado de São Paulo, cerca de 3.300 policiais e 1.300 viaturas estão empenhadas na operação. Mais de 1.500 mandados de prisão estão sendo cumpridos, além de 28 mandados de busca e apreensão.

Leia também: Agentes cumprem três mandados de prisão em nova fase da Lava Jato no Rio

Primeira Fase

Deflagrada  em agosto de 2018, a primeira fase da Operação Cronos resultou na prisão de mais de 2,6 mil pessoas em todo o país. Além disso, foram apreendidos 341 adolescentes. Segundo o Conselho Nacional dos Chefes de Polícia Civil divulgou à época, 42 pessoas foram presas por feminicídio; 404 por homicídio; 289 presos por crimes relacionados à Lei Maria da Penha; 640 foram autuadas em flagrante por posse ou porte irregular de arma de fogo, tráfico de drogas e outros crimes; e outras 1.252 pessoas foram detidas em decorrência de mandados de prisão expedidos por outros crimes.

Durante a primeira fase, foram apreendidas 146 armas de fogo e aproximadamente 383 quilos de entorpecentes, como maconha, cocaína e crack. Mais de 7,8 mil policiais civis de todo o país participaram das ações.

*Com informações da Agência Brasil