Tamanho do texto

A pedido do Ministério Público Federal, juiz Marcelo Bretas determinou buscas de documentos de outros suspeitos em operação desta terça-feira

Juiz Marcelo Bretas
Fernando Frazão/Agência Brasil
Mandados de busca e apreensão foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas

Agentes da Polícia Federal saíram às ruas, na manhã desta terça-feira (28), para cumprir mandados de prisão e busca e apreensão em nova fase da Operação Lava Jato no Rio, um desdobramento da "Câmbio, Desligo". Conforme antecipou o colunista do Globo Lauro Jardim , os mandados foram expedidos pelo juiz Marcelo Bretas, a pedido do Ministério Público Federal (MPF). 

Leia também: Moro manda tropas da força penitenciária para reforçar segurança em Manaus

Titular da da 7ª Vara Federal Criminal do Rio, Bretas determinou a prisão de três pessoas e buscas a documentos de vários outros suspeitos. A operação da Lava Jato  desta terça mira um esquema de lavagem de dinheiro dentro do sistema bancário.

Um dos alvos é Tânia Maria Aragão Fonseca, funcionária do Banco Bradesco . Além dela, outro funcionário do banco é procurado, além de um operador financeiro da quadrilha: Júlio César Pinto de Andrade e Robson Luiz Cunha Silva.

A "Operação Câmbio, Desligo " é um desdobramento da Lava Jato e foi deflagrada em maio do ano passado, prendendo 30 pessoas em quatro estados. A ação investiga uma rede doleiros que lava dinheiro para diversas organizações criminosas. Dentre elas, uma liderada pelo ex-governador Sérgio Cabral e Dario Masser. Masser é apontado como o "doleiro dos doleiros".

Ações planejadas em Curitiba

Após um ano considerado morno, a Lava Jato de Curitiba  já tem planejadas 14 novas operações para serem realizadas até dezembro, segundo fontes da Polícia Federal ( PF ) e do Ministério Público Federal ( MPF ) com acesso às investigações.

São fases que se desdobram de apurações anteriores, colaborações premiadas da Odebrecht e da OAS e também novas linhas de investigação sobre crimes de corrupção e lavagem de dinheiro, com envolvimento de agentes públicos de diferentes partidos.

Leia também: Polícia não mata inocentes, diz Witzel ao comentar ação de criminosos

Se a previsão vingar, 2019 promete contabilizar o maior número de fases da Lava Jato até hoje. Nos primeiros cinco meses deste ano, a força-tarefa já realizou quatro operações.