Tamanho do texto

Até o momento, 241 mortos foram identificados e 29 pessoas continuam desaparecidas; mais de 1,8 mil bombeiros já atuaram nas operações do local

Bombeiros trabalhando no resgate
Diogo Antunes/Photopress/Agência O Globo
Bombeiros continuam buscando por vítimas da tragédia em Brumadinho


Há exatamente 120 dias, a barragem I da Mina Córrego do Feijão se rompia em Brumadinho, Minas Gerais. Após quatro meses completos da tragédia, profissionais do Corpo de Bombeiros continuam trabalhando no local em busca de 29 pessoas que ainda estão desaparecidas.

Além dos corpos não localizados, de acordo com o último boletim divulgado, 241 mortes foram confirmadas. Para fazer o resgate de todos esses corpos — e também de pessoas com vida — mais de 1,8 mil bombeiros já passaram por Brumadinho .

Ao todo, 1.850 bombeiros militares já passaram pelo local da tragédia , tanto de Minas Gerais quanto de outras partes do Brasil e até do mundo .

Não há prazo para que as buscas  sejam encerradas.

Números da tragédia

  •  241 mortos identificados;
  • 29 desaparecidos;
  • 395 localizados

Prejuízo

Apoós a tragédia, a mineradora Vale , responsável pela barragem com prejuízo de R$ 6,4 bilhões , um resultado muito pior do que o lucro de R$ 5,1 bilhões registrado no mesmo período do ano passado. 

O desempenho negativo foi puxado pelo ocorrido em Brumadinho , cujas perdas somaram R$ 19 bilhões, segundo estimativas da própria empresa.