Tamanho do texto

Vale informou que a barragem pode se romper entre os dias 19 e 25 de maio

barragem barão de cocais
Divulgação/Vale
A empresa informou que a barragem de Barão de Cocais pode se romper entre os dias 19 e 25 de maio

A mineradora Vale iniciou na última quinta-feira (16) a construção de uma contenção de concreto, que vai funcionar como uma barreira física caso haja rompimento da barragem Sul Superior da mina Gongo do Soco, em Barão de Cocais, em Minas Gerais. Em nota divulgada à hoje (18), a Vale informou que iniciou a terraplanagem para a construção, a 6 quilômetros da barragem.

Leia também: Risco de rompimento em MG pode ser maior do que informou a Vale, diz MP

Segundo informações obtidas pelo Ministério Público do Estado de Minas Gerais (MPMG) com a própria mineradora, a barragem de Barão de Cocais pode se romper entre amanhã (19) e 25 de maio. 

"Além dessa estrutura que, após concluída, fará a retenção de grande parte do volume de rejeitos da barragem Sul Superior em caso de rompimento, a Vale está realizando intervenções de terraplenagem, contenções com telas metálicas e posicionamento de blocos de granito. Essa obra atuará como barreira física no sentido de reduzir a velocidade de avanço de uma possível mancha, contendo o espalhamento do material a uma área mais restrita", diz a mineradora. 

A empresa informa que, devido ao trabalho, haverá um aumento na circulação de caminhões e equipamentos pela cidade de Barão dos Cocais, o que poderá causar eventuais transtornos ao trânsito. 

Leia também: Prefeito diz que Barão de Cocais "morreu"; Vale minimiza riscos em barragem

"A Vale ressalta que continua monitorando a  barragem  e o talude norte da cava de Gongo Soco 24 horas por dia e mantendo contato permanente com as autoridades competentes no sentido de prevenir e informar a toda a população sobre o andamento dos trabalhos e da situação da barragem Sul Superior e da cava de Gongo Soco", acrescenta a nota.

Na última quinta-feira (16), o Ministério Público de Minas Gerais recomendou que a empresa adotasse medidas imediatas para informar a população sobre os riscos de rompimento da barragem.

O MPMG determinou que a empresa comunique, "por meio de carros de som, jornais e rádios, informações claras, completas e verídicas” sobre a condição estrutural da barragem. O MP quer que moradores e pessoas que estejam transitoriamente na cidade, no sudeste de Minas Gerais, saibam dos "potenciais danos e impactos de eventual rompimento”. 

A Vale realizou hoje à tarde,em Barão de Cocai s, um simulado de evacuação dos moradores . Outra simulação foi feita em 25 de março, dois dias depois que a barragem chegou ao nível máximo de risco.