Tamanho do texto

Esta é a primeira vez que equipamento é interceptado transportando materiais ilícitos e eletrônicos para o interior de uma penitênciaria

Drone com drogas e celulares
Seap/Divulgação
Drone foi apreendido levando droga e celulares para presídio do Rio de Janeiro

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) apreendeu, nesta quarta-feira (15), um drone que levava maconha e dois celulares para a Cadeia Pública Franz de Castro, em Volta Redonda, no Rio de Janeiro . Esta é a primeira vez que um equipamento deste tipo é interceptado tentando levar droga e material eletrônico para os presos no interior de penitenciária.

Leia também: ‘Operação Alquimista’ prende nove estudantes de medicina por tráfico de drogas

A operação foi feita por inspetores penitenciários das próprias unidades prisionais e encontraram 660 papelotes de pó branco, com características de cocaína; 532 trouxinhas de erva seca, com características de maconha, e 436 papelotes de material parecido com haxixe. Além disso, 60 celulares, um modem, um roteador de internet, material para endolação de drogas e carregadores de telefones foram apreendidos. Junto ao drone , haviam dois celulares e três tipos de drogas.

A Seap informou, em nota, que “não vem medindo esforços para bloquear a entrada de materiais ilícitos nas unidades prisionais, a fim de impedir a comunicação de presos com o mundo exterior. Nos últimos dois dias, mais de 1.500 invólucros de material com características de maconha, cocaína e haxixe foram apreendidos em mais uma etapa da Operação Asfixia”.

A Operação Asfixia, iniciada este ano, apreendeu até agora, 4.160 aparelhos de celular, além de 1.450 de chips de telefonia, 83.134 unidades de drogas, como papelotes e tabletes de maconha, invólucros de cocaína, dentre outros entorpecentes. Ainda foram apreendidos 32 roteadores de internet, 104 armas brancas e 230 unidades de anabolizantes.

Leia também: Negros são mais condenados por tráfico e com menos drogas em São Paulo

A Seap implantou também mais duas operações neste ano: a Iscariotes, que visa coibir servidores de entrarem com objetos ilícitos nas unidades prisionais e resultou na prisão de nove inspetores penitenciários, e a Bloqueio, que tem como finalidade impedir que visitantes de presos burlem as regras de segurança. Até o momento, 15 visitantes foram presos tentando entrar com drogas e celulares em cadeias do sistema penitenciário do Estado. Drone , no entanto, foi a primeira vez.