Tamanho do texto

O presidente Jair Bolsonaro não forneceu dados para embasar a retirada de radares; a declaração se deu em entrevista ao Programa do Silvio Santos

IstoÉ

Bolsonaro e Silvio Santos
Reprodução/Instagram
Jair Bolsonaro participou do programa de Silvio Santos neste domingo, onde falou sobre os radares

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou do Programa Silvio Santos , do SBT , que foi ao ar na noite de domingo (5). Sem mencionar estudos técnicos, como a Justiça exigiu há um mês, ele voltou a defender a retirada de radares de velocidade nas estradas para que o brasileiro volte a ter “o prazer em dirigir”.

No último mês, a 5ª Vara Cível de Brasília ordenou que o governo federal apresentasse dados que embasem o fim da instalação de novos radares nas estradas brasileiras.

Leia também: Danilo Gentili convida Bolsonaro para seu programa e ele aceita: "Vamos marcar"

“As rodovias federais que têm radares instalados, quando expirar o prazo do contrato, não vamos renovar. No começo, quando decidimos isso, parte da mídia bateu em mim, disse que iria aumentar o número de acidentes e mortes. Bem, agora, nesse feriadão da semana Santa, diminuiu em 11% o número de acidentes e mortes em rodovias. Se tivesse aumentado, a culpa era minha. Como diminuiu, parte da imprensa não falou nada”, afirmou Bolsonaro.

O presidente da República, no entanto, não citou a ordem judicial e disse que 8 mil processos para instalação de radares em rodovias federais foram negados pelo ministro Tarcísio de Freitas. Bolsonaro ainda afirmou que os radares causam mais acidentes e prejudicam o trânsito.

Leia também: Bolsonaro reafirma compromisso de não regulamentar mídia durante seu governo

“Causa mais acidente, até. E se arrecadam, por ano, bilhões disso no Brasil. É dinheiro que você tira do povo. Quando você tira do caminhoneiro, ele bota no frete. Aumenta o produto na prateleira frete”, declarou Bolsonaro sobre os radares .