Tamanho do texto

De acordo com as autoridades, grupo de mais de 20 anos homens tentou executar ações em duas agências bancárias; 11 suspeitos acabaram mortos

Tentativa de assalto a bancos em Guararema
Reprodução/WhatsApp - 4.4.19
Integrantes de quadrilha foram mortos pela polícia durante tentativa de assalto em Guararema (SP)

A Polícia Militar prendeu, nesta sexta-feira (5), mais três pessoas suspeitas de terem participado da tentativa de assalto a duas agências bancárias na cidade de Guararema, região metropolitana de São Paulo.

Leia também: Assalto a bancos faz reféns e acaba em tiroteio com onze mortes em Guararema, SP

Pela manhã, um homem foi preso nesta e encaminhado ao Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). A polícia confirmou a prisão de duas mulheres suspeitas de envolvimento com a quadrilha. Segundo a corporação, elas estariam tentando resgatar ladrões que ainda estão escondidos na mata. Outro homem havia sido preso durante a noite, também por participação nos assaltos em Guararema .

Em coletiva, o coronel Álvaro Camilo, secretário-executivo da Polícia Militar de São Paulo , afirmou ontem que a quadrilha era formada por entre 20 a 25 pessoas. Onze deles morreram e, até este momento, considerando as prisões feitas na manhã de hoje, seis deles foram presos - quatro com participação direta no assalto, segundo a polícia.  

A tentativa de assalto, de acordo com o coronel, ocorreu por volta das 3h da manhã da quinta-feira (2). O setor de inteligência da polícia já havia identificado que uma quadrilha poderia agir na região e, por determinação do secretário de Segurança, o policiamento na área estava reforçado, embora a polícia não soubesse ao certo em que cidade a quadrilha iria agir.

 Às 3h da manhã, quando ocorreu a explosão de duas agências bancárias na cidade de Guararema, a força policial foi mobilizada para atender a ocorrência. Segundo o secretário-executivo, ao chegar ao local, a primeira viatura policial foi recebida a tiros, dando sequência ao confronto. Segundo a Secretaria de Segurança Pública, houve perseguição e troca de tiros em cinco pontos da cidade. Um dos criminosos chegou a fazer uma família refém.

A ação contou com a participação do Grupo de Ações Táticas Especiais (GATE), das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (ROTA) e do Comando e Operações Especiais (COE).

Leia também: Bolsonaro celebra ação da polícia que culminou na morte de onze suspeitos em SP

Pelas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro celebrou a ação dos policiais no confronto. Parabéns aos policiais da ROTA (PM-SP) pela rápida e eficiente ação contra 25 bandidos fortemente armados e equipados que tentaram assaltar dois bancos na cidade de Guararema e ainda fizeram uma família refém. 11 bandidos foram mortos e nenhum inocente saiu ferido. Bom trabalho", escreveu  Bolsonaro .

Quem também parabenizou os policiais que atuaram em Guararema foi o governador de São Paulo, João Doria. "Bandidos que usam escopetas, fuzis e metralhadoras não saem para passear. Eles saíram para assaltar e fazer vítimas. Estão de parabéns os policiais que agiram e colocaram no cemitério os bandidos", disse o tucano, que ainda prometeu uma homenagem aos agentes.