Tamanho do texto

Mulher foi filmada sufocando a filha de seis anos, enquanto ela gritava; ela também colocou a criança de joelhos sobre pedras, com um tijolo na cabeça

Vídeo flagra criança sob castigo violento e sua mãe acaba autuada por tortura; menina foi levada pelo Conselho Tutelar
Reprodução/Youtube
Vídeo flagra criança sob castigo violento e sua mãe acaba autuada por tortura; menina foi levada pelo Conselho Tutelar

Uma mulher foi filmada maltratando a própria filha, no município de Xinguara, sudeste do Pará, e acabou perdendo a guarda da criança. Os vídeos que mostram a criança de seis anos de idade sendo espancada, sufocada e submetida a um castigo violento, vêm sendo compartilhado nas redes sociais nos últimos dias. A mãe da menina foi autuada por tortura.

Leia também: Jovem denuncia padrasto por estupro e tortura na Bahia: "Perdi a minha alma"

Os nomes das pessoas envolvidas nas gravações não foram divulgados à imprensa. Porém, sabe-se que a criança que aparece sendo agredida nos vídeos acabou sendo levada pelo Conselho Tutelar. Um inquérito foi instaurado pelo crime de tortura após a análise das imagens que viralizaram.

Os vídeos parecem ter sido feitos por vizinhos da família. Nas imagens, é possível observar a mulher sobre a criança, deitada no chão, enquanto bate nela e a sufoca com um pedaço de pano. Indagada, a mulher afirmou que estava educando a filha, punindo a criança por ela ter machucado o seu irmão de apenas um ano de idade. 

Leia também: Jovem é estuprada por cunhado e queimada viva pelo namorado durante o Carnaval

Em outro vídeo, a criança aparece de joelhos em cima de pedregulhos, segurando um tijolo na própria cabeça. O homem que faz as gravações, escondido atrás de uma porta, diz que trata-se de um castigo e que a própria mãe da criança a colocou sob aquelas condições, no quintal de casa. 

Quando os vídeos chegaram à polícia, a mulher foi intimada a comparecer na delegacia de Xinguara . Ao delegado, ela reforça que estava educando a própria filha.

Leia também: Padrasto tortura por meses e mata enteado de 8 anos por "pensar que fosse gay"

Por sua vez, o Conselho Tutelar também tomou conhecimento do caso por meio dos vídeos e, imediatamente, levou a criança para um abrigo. A Comissão dos Direitos Humanos, da Ordem de Advogados do Brasil (OAB), acompanha o caso e considera que houve abuso por parte da mãe, que responde por tortura .