Tamanho do texto

Reinaldo de Araújo tinha escapado do presídio em dezembro de 2018, ao lado de "Matrix", outro membro da facção, e estava foragido desde então

Um dos líderes do PCC, Reinaldo de Araújo
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL
Um dos líderes do PCC, Reinaldo de Araújo

Um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC) no Paraguai, Reinaldo de Araújo, foi morto a tiros em um confronto com a polícia do país na fronteira, na madrugada dessa terça-feira (5). 

Leia também: Polícia Civil prende líder do PCC em Mongaguá, litoral de São Paulo

A troca de tiros ocorreu em Villa Ygatymi, no departamento do Canindeyu, na fronteira com o Brasil. Araújo escapou da prisão em dezembro do ano passado, em Assunção, ao lado de Thiago Ximenes, outro membro do PCC conhecido como Matrix. 

De acordo com o ministro do Interior do Paraguai , Juan Ernesto Villamayor, Matrix estava com Araújo no momento do confronto, mas conseguiu escapar. Agora ele está sob perseguição dos agentes das Forças de Operações Policiais Especiais (Fope) e sua prisão é "questão de horas", disse o ministro. 

"A polícia fez um trabalho estupendo de acompanhamento e procura. Houve um confronto armado em que um deles foi morto e o outro está foragido e é procurado", informou Villamayor, em um comunicado à imprensa. 

Leia também: Governo de São Paulo transfere Marcola, chefe do PCC, para presídio federal

Araújo foi condenado a 25 anos de prisão pelo assassinato de sua esposa. Já dentro da penitenciária, ele se envolveu com a facção e esfaqueou um policial que revistava a cela. Já Matrix foi condenado a 20 anos de prisão em 2014 pela participação em um assalto a um carro forte. Ele já havia escapado de um presídio paraguaio uma vez com outros 12 criminosos. 

Em dezembro, os dois saíram de uma das penitenciárias mais seguras do país pela porta da frente, o que levou o vice-ministro de Segurança, Hugo Sosa, a colocar a penitenciária sob intervenção. 

Depois disso, as investigações concluíram que dois policiais, Milciades Nazario Ramirez Aguilar e Marcos Antonio Giménez, e a advogada Lilian Rocío Calonga Ovelar, foram responsáveis pela fuga. 

Leia também: Marcola ficará isolado em cela de 12 m² e não terá direito a visitas íntimas

Matrix, por sua vez, assumiu o comando da facção depois que o ex-líder Sérgio de Arruda Quintiliano Neto, o ‘Minotauro’, foi preso em Santa Catarina no início de fevereiro. Caso seja localizado, será expulso do país, como já aconteceu com Jarvis Chimenez Pavão, do PCC , Marcelo Fernando Pinheiro Veiga, o ‘Piloto’, e Fábio de Souza Santos, o ‘Geleia’, ambos membros do Comando Vermelho.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.