Tamanho do texto

Quantidade de mortes confirmadas continua em 157, segundo Corpo de Bombeiros; identificação das vítimas é feita por exame de DNA

Equipes trabalham nas buscas por vítimas do rompimento de barragem em Brumadinho
Divulgação/Prefeitura de Brumadinho
Equipes trabalham nas buscas por vítimas do rompimento de barragem em Brumadinho

A Polícia Civil de Minas Gerais divulgou na tarde desta sexta-feira (8) uma lista atualizada de vítimas do rompimento da barragem Córrego do Feijão, em Brumadinho. Até agora foram 151 vítimas identificadas pelo Instituto Médico Legal. O Corpo de Bombeiros afirma que o  número de mortes confirmadas continua em 157.

Leia também: PM detém seis pessoas por estelionato, roubo e atrapalharem buscas em Brumadinho

O Instituto Médico Legal utiliza o exame de DNA para identificar as vítimas de Brumadinho . Para tornar o trabalho mais eficiente, a própria Polícia Civil realiza a coleta de material genético para o exame. Ainda há 182 pessoas desaparecidas, incluindo 55 funcionários da mineradora e 127 trabalhadores terceirizados ou moradores da comunidade.

O porta-voz do Corpo de Bombeiros, tenente Pedro Aihara explicou que, neste momento, o trabalho se caracteriza pela demanda de acesso a estratos mais profundos da terra. “É necessário todo esse trabalho de estabilização, de escoramento dessas estruturas. E continuamos com a questão do cruzamento de dados para que a gente consiga fazer as buscas em áreas cada vez mais precisas”, disse.

Atualmente, os bombeiros fazem buscas em cerca de 45 pontos, com especial atenção para o ITM, os vestiários e o entorno do estacionamento, onde as equipes se concentram mais.

Esta sexta-feira é o 15º dia de buscas. O porta-voz do Corpo de Bombeiros informou em entrevista coletiva que 400 militares de Minas Gerais e de outros estados participam das operações de busca. Segundo ele, não há previsão para redução do efetivo.

Houve um aumento no número de máquinas pesadas usadas para revirar a lama. Antes os bombeiros contavam com 25 máquinas, agora usam 28, de acordo com Aihra. Segundo o porta-voz, elas ajudam a acelerar o trabalho de buscas.

Os bombeiros que estão atuando na chamada ‘zona quente’ também usam, desde ontem, 250 aparelhos de geolocalização . Os dispositivos permitem acompanhar a localização em tempo real dos profissionais, que podem pedir apoio ou socorro.


Vítimas de Brumadinho

Representantes do governo federal já admitiram que não será possível resgatar todos os corpos das vítimas da tragédia em Minas Gerais. “Este é um episódio de muita gravidade. Algumas pessoas, triste e lamentavelmente, não serão recuperadas", disse o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni.

A barragem da Mina do Córrego do Feijão, controlada pela Vale, se rompeu no dia 25 de janeiro. O mar de lama destruiu a  sede administrativa e o refeitório  da empresa. Parte da cidade de Brumadinho , na Grande Belo Horizonte, também foi atingida.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas