Tamanho do texto

Sandro Teixeira de Oliveira é acusado de ter oferecido pedras preciosas a testemunhas em investigações por abusos sexuais contra o médium

Filho do médium João de Deus é preso por coação e corrupção de testemunha
Reprodução Polícia Civil
Filho do médium João de Deus é preso por coação e corrupção de testemunha

Sandro Teixeira de Oliveira, filho do médium João de Deus, foi preso neste sábado (2) em sua residência em Anápolis (GO). Sandro é acusado de coação e corrupção de testemunha. Segundo a Polícia Civil, ele foi levado para o Núcleo de Custódia em Aparecida de Goiânia, onde também está preso seu pai.

Leia também: João de Deus e a esposa são indiciados por porte ilegal de armas de fogo

O filho de João de Deus foi denunciado pelo Ministério Público de Goiás no dia 25 de janeiro porque teria coagido uma testemunha um dia após ela ter comparecido à delegacia. Segundo os promotores, Sandro estava armado quando encontrou a testemunha e ofereceu pedras preciosas no valor de R$ 15 mil para obter seu silêncio e a retirada do registro.

A pedido do Ministério Público, a Justiça já havia imposto medidas cautelares contra Sandro , que estava proibido de sair de Anápolis, onde vive, e também estava impedido de se aproximar das vítimas e deveria comparecer ao juiz mensalmente. Mesmo assim, a juíza Rosângela Rodrigues, da comarca de Abadiânia, decretou a prisão.

João de Deus também responde pelos crimes de coação e corrupção de testemunhas no mesmo processo. A Polícia Civil também o investiga por lavagem de dinheiro devido aos mais de R$ 1,6 milhão e as pedras preciosas encontradas em sua casa. O médium está preso preventivamente desde 16 de dezembro suspeito de praticar crimes sexuais. Ele já é réu em duas ações por violação sexual e estupro de vulnerável .

Após denúncia feita por uma mulher no programa Conversa com Bial ( TV Globo ) dezenas de outras mulheres também deram depoimentos afirmando terem sido molestadas durante atendimentos na Casa Dom Inácio de Loyola, onde o médium realizava cirurgias espirituais.

Algumas mulheres dizem ter sofrido abusos sexuais quando ainda eram crianças ou adolescentes. Muitos relatos são semelhantes, indicando repetição na prática do médium. Algumas pessoas contam terem sido molestadas na frente de outras pessoas que acompanhavam as sessões de atendimento espiritual.

Leia também: Defesa de João de Deus pede desistência de habeas corpus no STF

Os promotores já apresentaram duas denúncias contra o líder espiritual, mas o Ministério Público continua colhendo e analisando denúncias de pessoas que se dizem vítimas de João de Deus . O médium nega todas as acusações e se diz inocente.

Veja imagens de pedras preciosas apreendidas com João de Deus