Tamanho do texto

Até agora, 110 pessoas morreram e 238 são consideradas desaparecidas, no entanto, mais corpos foram encontrados em meio à lama aos rejeitos

Equipes de resgate em Brumadinho em Minas Gerais
Ricardo Stuckert / Fotos Públicas
Equipes de resgate em Brumadinho em Minas Gerais

As buscas por corpos e sobreviventes da tragédia de Brumadinho entraram no sétimo dia no final da madrugada desta quinta-feira (31). Durante o dia, o foco da operação foi na área do restaurante da empresa Vale e de uma pousada que foram soterrados pela lama e pelos rejeitos de minério.

Leia também: Vale cadastra famílias das vítimas de Brumadinho para repasse de R$ 100 mil

Até agora, os números oficiais da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais contabilizaram 110 mortos e 238 desaparecidos, além de 394 localizados. A última atualização foi feita noinício da noite desta quinta-feira (31).

A equipe de buscas teve desfalques a partir dessa quinta-feira, uma vez que os militares das Forças de Defesa de Israel deixaram o Brasil. No entanto, bombeiros de todas as partes do País estão chegando a todo momento em solo mineiro para auxiliar nas operações.

Entenda a tragédia de Brumadinho

Barragem da mineradora Vale se rompeu em Brumadinho (MG)
Reprodução
Barragem da mineradora Vale se rompeu em Brumadinho (MG)

No início da tarde da última sexta-feira (25) uma barragem 1 da Mina do Corrégo do Feijão, que pertence a empresa Vale, se rompeu na cidade da Região Metropolitana de Belo Horizonte. O município foi invadido pela lama e pelos rejeitos de minerio e centenas de pessoas ficaram desaparecidas.

Muitas vítimas são funcionários ou terceirizados da própria Vale, que tinha um complexo administrativo no local. O refeitório da empresa ficava muito perto da barragem rompida e foi totalmente soterrado.

Integrantes do governo federal já admitiram que  não será possível resgatar os corpos de todas as vítimas da tragédia em Minas Gerais. “Este é um episódio de muita gravidade. Algumas pessoas, triste e lamentavelmente, não serão recuperadas", disse o ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, após reunião do comitê de crise montado pelo Palácio do Planalto para acompanhar a situação.

Após a tragédia de Brumadinho , dois engenheiros que atestaram a segurança da barragem, além de três funcionários da Vale, foram presos. O governo federal já afirmou que "tomará medidas" para impedir tragédias parecidas e falou em aumentar a fiscalização. Hospitalizado por conta de uma cirurgia, o presidente Jair Bolsonaro viajou à cidade mineira antes de ser internado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.