Tamanho do texto

Coletivo prestou solidariedade ás vítimas da tragédia que atingiu a cidade na Zona Metropolitana de Belo Horizonte fez alusão à tragédia de Mariana

Câmeras flagraram resgate de mulher após rompimento de barragem em Brumadinho
Reprodução/Record TV
Câmeras flagraram resgate de mulher após rompimento de barragem em Brumadinho

O Movimento dos Atingidos por Barragens prestou solidariedade hoje (25) aos atingidos pelo rompimento da Barragem da Mina Córrego do Feijão, que pertence à mineradora Vale, no início da tarde. “Há apenas três anos do rompimento da Barragem de Fundão, em Mariana, mais um crime contra a vida é fruto desse modelo que apenas provoca tragédias anunciadas”.

Leia também: Barragem da Vale se rompe em Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte

Por meio de comunicado, o movimento diz ter denunciado o atual modelo de mineração utilizado no país, citando "empresas privatizadas e multinacionais que visam ao lucro a qualquer custo”. “Mais uma vez, o lucro está acima de vidas humanas e do meio ambiente”, destacou a nota. De acordo com o movimento, a barragem em Brumadinho tem capacidade de 1 milhão de metros cúbicos de rejeitos que, caso cheguem até o Rio Paraopeba, devem deixar um rastro de destruição, colocando em risco o abastecimento de milhares de famílias em mais de 48 municípios da Bacia do Paraopeba.

“Desde o ano de 2015, inúmeras denúncias vêm sendo feitas pelo risco de rompimento de barragens do complexo e, ainda assim, a Mina Córrego do Feijão teve sua ampliação aprovada pelo Conselho Estadual de Política Ambiental em dezembro do ano passado, 2018”, ressaltou o movimento.

Entenda a tragédia em Brumadinho

Lama invadiu a zona baixa de Brumadinho após rompimento de barragem da Vale
Reprodução
Lama invadiu a zona baixa de Brumadinho após rompimento de barragem da Vale

Uma barragem da mineradora Vale se rompeu na cidade de Brumadinho , Região Metropolitana de Belo Horizonte, na tarde desta sexta-feira (25). O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil trabalham no local.

Nas imagens divulgadas nas redes sociais de moradores da região, é possível ver a lama invadindo a cidade e destruindo casas. Até agora, a tragédia contabilizou quatro pessoas feridas. 

Leia também: Tragédia de Mariana faz três anos, mas julgamento está longe de ser concluído

Por conta do rompimento da barragem, que aconteceu na Mina Feijão, moradores da parte mais baixa da cidade foram retirados de suas casas pelas autoridades. A prefeitura de Brumadinho emitiu um comunicado pedindo para que os moradores não se aproximem das margens do Rio Paraopeba.

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.