Tamanho do texto

Procuradoria fez nova avaliação após pedido de Toffoli, mas manteve posição e quer que o médium siga na cadeia; exame médico não apontou nada grave

João de Deus é acusado de ter abusado sexualmente de mulheres de idades entre 9 e 67 anos
Marcelo Camargo/Agência Brasil - 12.12.18
João de Deus é acusado de ter abusado sexualmente de mulheres de idades entre 9 e 67 anos

A Procuradoria-Geral da República (PGR) manteve sua recomendação sobre o encarceramento do médium João de Deus após a avaliação médica não apontar nada grave. A reavaliação foi feita após um pedido pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli.

Leia também: João de Deus afirma não se lembrar de mulheres que o acusam

Com isso, João de Deus  passou por uma avaliação médica dentro do presídio, mas os especialistas disseram que o líder espiritual estava "clinicamente bem". A defesa dele afirma que seu estado de saúde é “crítico” e pede para que a Justiça conceda prisão domiciliar ao homem, de 76 anos.

O pedido de revisão aconteceu após a juíza Marli de Fátima Naves ter  negado que o  médium fosse transferido do Complexo Prisional de Aparecida de Goiânia (GO) para um hospital. De acordo com ela, não há, “até a presente data”, qualquer variação no estado de saúde do médium que exija sua mudança.

Leia também: João de Deus vai permanecer preso após decisão da Justiça

A decisão aconteceu um dia depois que o presidente do Toffoli  determinou que o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO) informasse a situação de saúde de João de Deus.

Na última quarta-feira (2), o médium passou mal e recebeu atendimento médico na unidade prisional onde está detido preventivamente. Na sequência, ele foi encaminhado para o Hospital de Urgência de Goiânia, onde foi submetido a uma série de exames clínicos.

No mesmo dia, um dos advogados do líder espiritual  em Goiânia, Alex Neder, disse que o médium começou a passar mal no último dia 26. “A situação dele, antes da prisão, já era diferenciada e preocupante. Com a prisão, a saúde dele se agravou”, reclamou Neder ,afirmando que a unidade prisional não tem infraestrutura adequada para atendimento em saúde.

João Teixeira de Faria  retornou ao presídio na madrugada de quinta. A defesa dele afirma que seu estado de saúde é “crítico” e pede para que a Justiça conceda prisão domiciliar.  João de Deus   tem 76 anos, submeteu-se em 2015 a uma cirurgia e tratamento por causa de um câncer no estômago e, segundo a assessoria da Casa Dom Inácio de Loyola, onde o médium prestava atendimento espiritual, é cardiopata.


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.