Tamanho do texto

Ana Keyla Teixeira também afirma não acreditar nas denúncias de abuso sexual contra o médium; líder espiritual também prestou depoimento hoje

João de Deus chegou para prestar depoimento às 10h e deixou o local após cerca de 2h30 sob forte esquema de segurança
Reprodução/Globonews
João de Deus chegou para prestar depoimento às 10h e deixou o local após cerca de 2h30 sob forte esquema de segurança

A mulher do médium João Teixeira de Faria, o João de Deus, Ana Keyla Teixeira, disse à Polícia Civil, nesta quarta-feira (26), que não sabia que seu marido guardava armas na casa da família, em Abadiânia (GO). Ela também afirma que as denúncias de abuso sexual contra o médium são mentirosas. João de Deus está preso desde o dia 16.

“Ela negou ter visto o marido portanto arma no local e disse que nunca permitiria por causa da filha do casal, mas algumas armas estavam expostas. Dificilmente não conseguiriam ser visualizadas. É um ponto de contradição importante para investigações”, afirmou a delegada Karla Fernandes. A esposa do médium foi ouvida na Delegacia de Proteção a Criança e ao Adolescente (DPCA), em Goiânia, que apura as denúncias contra João de Deus e já o indiciou por violação sexual mediante fraude.

O depoimento de Ana Keyla durou quase 4 horas. A corporação avalia se ela responderá como co-autora dos crimes ou só como testemunha. A mulher do médium contou que o conheceu aos 10 anos de idade, quando foi com a mãe à Casa Dom Inácio de Loyola, onde o marido atende. No entanto, ela só começou a se relacionar com ele aos 20 anos e, há 18, iniciaram uma união estável. Eles têm uma filha de 3 anos de idade.

Leia também: Mala apreendida em esconderijo na casa de médium tinha R$ 1,2 milhão

“Ela foi muito discreta não declinou como iniciou o relacionamento, mas disse que o coração dela palpitou muito desde a primeira vez que o viu”, detalhou a delegada. Ainda de acordo com a delegada, a mulher não deu detalhes de como o relacionamento começou. “Ela tem um fascínio, uma admiração muito grande por ele. Ela não diz ter sido vitimada por ele de nenhuma forma”, explicou a delegada Paula Meotti.

A psicóloga avaliou que a esposa dele é 35 anos mais nova à semelhança das mulheres que acusam o médium de abuso sexual. Apesar disso, ela não identificou vestígios de que o relacionamento dos dois pudesse ser abusivo ou que ele fosse agressivo com ela.

Também nesta quarta-feira, João de Deus prestou depoimento e afirmou não se lembrar das mulheres que o acusam de assédio sexual. Em interrogatório conduzido pelos promotores, o investigado ainda reafirmou sua inocência diante das mais de 600 denúncias feitas por mulheres, 77 das quais foram ouvidas pelo MP.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.