Tamanho do texto

Prefeitura diz que trabalhos já foram iniciados e devem ser concluídos em maio de 2019; fadiga do concreto e "defeitos ocultos" causaram acidente

Trecho do viaduto da Marginal Pinheiros tombou na madrugada do dia 15 de novembro
Rovena Rosa/Agência Brasil - 27.11.18
Trecho do viaduto da Marginal Pinheiros tombou na madrugada do dia 15 de novembro

As obras para recuperação do viaduto da Marginal Pinheiros que está  interditado há um mês após ter cedido dois metros devem ser concluídas somente em maio do ano que vem e terão custo aproximado de R$ 30 milhões. 

As informações foram transmitidas nesta segunda-feira (17) pela Prefeitura de São Paulo após balanço dos testes para o escoramento e o reerguimento  do viaduto , que fica na pista expressa da Marginal Pinheiros, sentido Castello Branco, na altura do Parque Villa Lobos. Segundo a administração municipal, os processos indicaram que a demolição da estrutura seria desnecessária e os trabalhos para reforma já foram iniciados nos dois pilares de apoio e na viga que se rompeu, além da reconstrução do asfalto na via de rodagem.

“Desde o primeiro momento, a prefeitura começou a realizar estudos e avaliações para optar entre a demolição da estrutura e reconstrução do viaduto ou pela recuperação dos danos”, disse o prefeito Bruno Covas (PSDB). “Chegamos à conclusão de que o processo de demolição e reconstrução levaria entre dois anos e meio e três anos, com custo de R$ 70 milhões, enquanto a recuperação, aproveitando a estrutura e o tabuleiro, deve custar menos de a metade desse valor e ser concluída em cinco meses”, continuou.

O valor da obra, segundo a prefeitura, poderá ser ressarcido futuramente pelo governo estadual, mas, em princípio, será desembolsado pela própria prefeitura . A empresa contratada, em caráter emergencial, foi a JZ Engenharia e Comércio. “A prefeitura tem assumido toda a responsabilidade sobre as previdências que estão sendo tomadas no viaduto”, declarou o prefeito.

Leia também: Passageiros enfrentam quinto dia de atrasos em voos no Aeroporto de Guarulhos

As causas do acidente foram apontadas pela prefeitura como uma composição de fatores. Foram identificados fadiga do concreto e defeitos ocultos (não identificáveis em inspeção visual), como a ruptura na parte intermediária de uma viga, que dobrou e se apoiou sobre o pilar. “Vamos reformar os pilares, reparar a viga e fazer o reparo no tabuleiro”, disse o secretário municipal de Infraestrutura e Obras, Vitor Aly.

O secretário explicou que o trabalho para reerguer a estrutura revelou que o viaduto apresentava desgaste desigual. “Depois que colocamos os macacos hidráulicos, a gente percebeu que houve encurtamento não simétrico do tabuleiro. Em um dos lados, teve um encurtamento maior que no outro. No projeto inicial, era para [o tabuleiro] se deformar por igual e simetricamente”, explicou o secretário. Além disso, o ponto que cedeu era onde havia mais tensão de impacto.

Além de recuperar o viaduto da Marginal Pinheiros, a Prefeitura de São Paulo já se comprometeu a contratar laudos para avaliar a situação de 185 pontes e viadutos da capital paulista, a fim de evitar novos acidentes.

*Com reportagem da Agência Brasil


    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.