Tamanho do texto

De acordo com o delegado Hamilton Caviola Filho, criminoso entrou na catedral, sentou em um dos bancos e só depois de minutos fez os disparos

Responsável pelos tiros que matou quatro pessoas e si próprio em catedral de Campinas planejou o crime, diz delegado
reprodução/ Whatsapp
Responsável pelos tiros que matou quatro pessoas e si próprio em catedral de Campinas planejou o crime, diz delegado






As imagens registradas pelo circuito de segurança da catedral de Campinas em que um tiroteio deixou cinco mortos na tarde desta terça-feira (11) mostram que o atirador Euler Fernando Grandolpho, de 49 anos, agiu de forma premeditada e sozinho. De acordo com os registros, o homem protava duas armas e estava ciente do que fazia. Ele inclusive mirou em três das vítimas, que estavam no banco atrás do qual ocupava.

Leia também: Homem mata quatro pessoas e comete suicídio em catedral de Campinas (SP )

Responsável pelo caso, o delegado Hamilton Caviola Filho esclareceu que o homem entrou na  catedral de Campinas armado de uma pistola automática e de um revólver calibre 38, além de quatro carregadores. Ele permaneceu sentado durante dois minutos para depois iniciar os disparos. Imediatamente ele foi contido por dois policiais e um deles conseguiu alvejar o criminoso, que ainda com vida, atirou contra si próprio. As conclusões vieram através das imagens cedidas pela própria igreja.


"Ele usou uma arma, mas estava com duas. Motivação a gente só vai saber quando a gente identificar, para saber o histórico dele. Por enquanto, eu estou me reportando às imagens. Ele parou, pensou e executou o plano que tinha na cabeça. Foi suicídio, mas o policial deve ter alvejado antes, porque ele estava com um tiro na costela. Depois desse tiro ele caiu e se matou", explicou o delegado.

Leia também: Aluno morre após ingerir cloro em piscina de academia do interior de São Paulo

Em entrevista horas após o tiroteio , o delegado do Deinter 2, José Henrique Ventura, informou que a identificação do atirador foi possível graças a uma bolsa encontrada dentro da igreja em que a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) dele foi encontrada. Registrado em Valinhos (SP), cidade vizinha de Campinas, ele não possui antecedentes criminais. A polícia ainda trabalha para descobrir qual foi a motivação do crime. 

Leia também: "Foram mais de tiros", diz padre que celebrou missa antes do tiroteio

A catedral de Campinas fica localizada no centro da cidade, local de muita movimentação. O crime, que aconteceu por volta das 13h, foi minutos após o encerramento da missa tradicional das 12h15.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.