Tamanho do texto

Novos depoimentos foram feitos depois que as primeiras histórias contra o líder religioso repercutiram; ex-funcionária conta que foi obrigada a ficar nua

Duas novas mulheres apresentaram denúncias de assédio contra o médium João de Deus, neste sábado
Divulgação
Duas novas mulheres apresentaram denúncias de assédio contra o médium João de Deus, neste sábado

Após a ampla repercussão a respeito dos depoimentos de mulheres que relataram terem sofrido abuso sexual por parte famoso médium João de Deus , outras mulheres trouxeram suas histórias a público, neste sábado (8).

Um dos novos depoimentos é o de uma mulher – que não quis se identificar – que afirmou que foi abusada por João de Deus quando era menor de idade. Segundo ela, aos 15, foi à Casa Dom Inácio, em Abadiânia, Goiás, pela primeira vez. Ela sempre ia ao local com a mãe mas, no dia em que foi sozinha, foi vítima de assédio. 

Outra mulher afirmou que era ex-funcionária da casa e que também foi vitimada. Essa segunda conta que foi à casa pela primeira vez em 2005, para buscar uma cura para a filha, e depois voltou por causa de um tumor. Segundo ela, os abusos também ocorreram quando ela estava sozinha.

“Na primeira ocasião, ele pegou um colchão que tinha no corredorzinho e colocou no chão. Ele mandou eu tirar a roupa, eu tirei. Não entendi muito bem. Da outra vez que eu fui, ele sentou na poltrona dele, tirou as calças e mandou eu mexer no órgão dele”, relatou.

A ex-funcionária conta que teve medo de denunciar o médium à Polícia Civil devido ao seu reconhecimento na cidade. “Era medo, medo de me expor, ele tem costas quentes né, poderoso em Abadiânia e em Goiás”, afirmou.

Leia também: Guru indiano é condenado à prisão perpétua por estuprar seguidora de 16 anos

Ambos os novos depoimentos foram divulgados pela Rede Globo . Antes desses dois, outros 13 depoimentos haviam sido citados em uma reportagem do programa Conversa com Bial e pelo jornal O Globo .  Em nota, o médium nega as acusações. 

Holandesa relata ter sido estuprada por João de Deus

Zahira conta que foi abusada por João de Deus em duas ocasiões diferentes; para ela, foi difícil aceitar o ocorrido
TV Globo/Reprodução
Zahira conta que foi abusada por João de Deus em duas ocasiões diferentes; para ela, foi difícil aceitar o ocorrido

Quatro dos depoimentos contra o  médium foram exibidos no programa de Bial. Dentre eles, estavam os de três brasileiras, que pediram para não serem identificadas, e o depoimento da coreógrafa holandesa Zahira Lieneke Mous – a única que aceitou mostrar o rosto.

No depoimento de Zahira, a holandesa contou que conheceu a casa em Abadiânia em 2014, quando buscava a cura para o trauma de ter sofrido um  abuso sexual no passado. De acordo com Zahira, após muitas pesquisas, ela sentiu-se a vontade para ir sozinha ao local.

Na segunda visita à casa, ela foi informada que teria uma consulta particular com o médium. "Você se sente especial", relatou. Chorando, a coreógrafa contou que ficou sozinha com João de Deus e que ele perguntou porque ela estava ali.

Em seguida, o médium  cheirou Zahira e pediu para que ela ficasse de costas, levando-a para um banheiro. Depois, ele teria colocado as mãos dela no pênis dele e fez com que elas se movimentassem. Após o abuso, abriu um armário com pedras preciosas e pediu para Zahira escolher uma.

Leia também: Lei sueca que considera estupro todo ato sexual sem consentimento entra em vigor

Numa outra visita, segundo ela, Zahira foi novamente levada ao banheiro por João de Deus e o médium chegou a penetrá-la. Ela conta que não saiu correndo e gritando porque acreditava que poderia ser treinada como medium para ajudar as pessoas. No entanto, quando deixou a cidade, ela percebeu a gravidade do que havia acontecido.