undefined
Reprodução/Instagram
A foto das fantasias de Goleiro Bruno e Macarrão foram publicadas no Instagram com a legenda "fantasia raiz"

Dois jovens geraram revolta após se fantasiarem de "goleiro Bruno e Macarrão" para uma festa na cidade mineira de Inconfidentes. De acordo com o jornal Estado de Minas , ambos são estudantes do Instituto Federal Sul de Minas, que publicou uma nota de repúdio nas redes sociais.

Leia também: Alunos se fantasiam de membros da Ku Klux Klan em colégio de Salvador

As fantasias de goleiro Bruno e Macarrão foram usadas em uma festa a fantasia, realizada fora da escola, e o caso veio a público após os estudantes publicarem uma foto usando os trajes, que incluíam um saco preto com o nome "Eliza Samudio" escrito no rótulo.

A imagem foi originalmente postada nos stories do Instagram com a legenda “fantasia raiz”, e, pouco tempo depois, começou a repercutir nas redes sociais. Em perfis do Twitter e Facebook, muitos usuários apontaram a atitude dos estudantes como uma apologia ao feminicídio , tendo em vista o crime em questão.

O caso chegou no Instituto Federal, que divulgou uma nota de repúdio em seu Facebook. Leia na íntegra a carta sobre as fantasias :

“O IFSULDEMINAS - Campus Inconfidentes repudia, veementemente, qualquer ato que incite a violência de gênero, feminicídio ou qualquer outro tipo de crime. Consideramos a apologia aos atos citados absolutamente inadmissível e isso não deve ser tratado, em hipótese alguma, como um tipo de brincadeira.

Esperamos dos estudantes do nosso Campus a consciência para compreenderem a gravidade deste assunto e neste sentido contamos com ações promovidas por meio do Grupo de Estudos de Gênero, Arte, Educação e Sexualidade – GAES, da Semana das Diferenças e do Grupo de Teatro Arte Federal.

Vale esclarecer que, todo e qualquer membro da comunidade da nossa instituição, seja servidor ou aluno, é antes de mais nada cidadão e como tal deve responder pelos seus atos e suas consequências.

A Direção”

Leia também: 'É triste me ver estereotipada em fantasia de carnaval', diz ativista negra

Relembre o caso do goleiro Bruno e Eliza Samudio

undefined
Renata Caldeira / TJMG
O caso de feminicídio foi cometido pelo Goleiro Bruno e Macarrão contra a modelo Eliza Samudio

Bruno Fernandes das Dores de Souza e Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, foram condenados pelo homicídio e ocultação do corpo da modelo Eliza Samudio, além do sequestro do filho do ex-jogador e da mulher, no ano de 2010. O caso poderia se enquadrar na lei do feminicídio, que só foi sancionada em 2015.

O goleiro foi sentenciado a 20 anos e nove meses de detenção e, em junho desse ano, saiu do presídio onde cumpria a pena, na cidade mineira de Varginha, e agora cumpre a determinação da justiça na Associação de Proteção ao Condenado (Apac).

Leia também: Polícia indicia irmão do ex-goleiro Bruno por tentativa de aborto e sequestro

Amigo de infância do  goleiro Bruno , Macarrão foi condenado a 15 anos de prisão pelo envolvimento nos crimes. Há seis meses, deixou a prisão para cumprir o resto da pena em regime aberto.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários