Tamanho do texto

Policiais foram recebidos com disparos por criminosos armados, conforme informou a corporação; moradores da região registram confrontos

Moradores da comunidade Dona Marta registram tiroteios nas redes sociais pelo terceiro dia seguido
Fernando Frazão/Agência Brasil
Moradores da comunidade Dona Marta registram tiroteios nas redes sociais pelo terceiro dia seguido

Moradores da comunidade Dona Marta e de outras regiões de Botafogo, na Zona Sul do Rio de Janeiro, registraram, na madrugada desta segunda-feira (27), disparos pelo terceiro dia consecutivo de tiroteio.

Leia também: Penitenciária de Monte Cristo pode voltar a ser palco de “tragédia nacional”

Os tiros foram ouvidos no início da manhã, quando policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) iniciaram uma operação na comunidade Dona Marta . De acordo com moradores da região, os disparos começaram a ser ouvidos por volta das 5h30. Até o momento, não há informações de feridos.

"Muito tiro! Começou a sinfonia das nossas manhãs! Misericórdia!" e "Nossa! Está muito alto. Moro perto do KFC e do metrô e nunca ouvi tão alto" são algumas das mensagens postadas nas redes sociais.

Leia também: Megaoperação contra suspeitos de feminicídio termina com 2.627 presos

Intervenção federal

Antes de confrontos na Dona Marta, comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas critica governo do Rio
Marcelo Camargo/Arquivo Agência Brasil
Antes de confrontos na Dona Marta, comandante do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas critica governo do Rio

O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, afirmou nesta sexta-feira (24) que setores do governo do Rio de Janeiro se emprenharam pouco em tomar medidas para modificar os baixos índices de desenvolvimento humano que propiciam a proliferação da violência, após meses da intervenção federal na segurança pública no estado.

“Passados seis meses [da intervenção federal ], apesar do trabalho intenso de seus responsáveis, da aprovação do povo e de estatística que demonstram a diminuição dos níveis de criminalidade, o componente militar é, aparentemente, o único a engajar-se na missão”, escreveu Villas Bôas na mensagem lida durante a cerimônia em comemoração ao Dia do Soldado.

O comandante do Exército ressaltou que “exigem-se soluções de curto prazo, contudo, nenhum outro setor dos governos locais empenhou-se com base em medidas socioeconômicas para modificar os baixos índices de desenvolvimento humano, o que mantém o ambiente propício à proliferação da violência”.

Confrontos na comunidade Dona Marta

Policiais foram recebidos com tiros enquanto faziam patrulhas em ruas da comunidade Dona Marta
Carlo Wrede / Agência O Dia
Policiais foram recebidos com tiros enquanto faziam patrulhas em ruas da comunidade Dona Marta

No sábado, outro tiroteio ocorreu pela manhã, por volta das 7h. Policiais militares da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) foram recebidos a tiros durante patrulhamento na comunidade, conforme informou a assessoria da Polícia Militar . Entretanto, não houve informações sobre feridos, prisões ou apreensões.

A corporação afirma que os agentes da UPP receberam os disparos enquanto realizavam um patrulhamento na Rua Nossa Senhora Aparecida.

Neste domingo (26), a troca de tiros foi ouvida por volta das 6h45 na Ladeira dos Tabajaras. Os policiais faziam patrulhamento na Rua dos Brigadeiros quando criminosos armados começaram a confrontá-los.

Leia também: Megaoperação de combate ao feminicídio prende 1027 em 16 Estados e no DF

Um vídeo publicado na página Onde Tem Tiroteio-RJ (OTTRJ) mostra os tiros. As imagens são de uma moradora dizendo "segundo dia seguido que a gente acorda com tiroteio no Dona Marta ".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.