Tamanho do texto

Número de latrocínios e estupros também subiram nos cinco meses da intervenção no RJ; assaltos e roubos de carga, contudo, diminuíram

Depois de cinco meses, intervenção no RJ segue incapaz de apresentar resultados positivos relevantes
Tânia Rêgo/Agência Brasil - 7.3.18
Depois de cinco meses, intervenção no RJ segue incapaz de apresentar resultados positivos relevantes

Os meses passam, e a intervenção militar no estado do Rio de Janeiro segue incapaz de apresentar resultados positivos. Pelo contrário: de acordo com números apresentados nesta terça-feira (14) pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), que consolida dados da segurança no estado, o número de mortes provocadas pela polícia aumentou 38% nos primeiros cinco meses da intervenção no RJ.

Leia também: Ministro sugere que intervenção no Rio se estenda por mais um ano

Foram, ao todo, 636 mortos pela polícia entre março e julho deste ano. No mesmo período de 2017, 460 pessoas morreram em decorrência da intervenção policial. Somente no mês de julho, foram 129 mortos, uma média de quatro por dia. A intervenção no RJ foi decretada em 16 de fevereiro, e tem previsão de terminar em 31 de dezembro.

A letalidade violenta, que engloba homicídios dolosos, mortes pela polícia , latrocínios e lesão corporal seguida de morte, aumentou. Eram 461 casos, em julho de 2017, que passaram para 552 casos, em julho deste ano. Desses, os homicídios dolosos subiram de 374 casos em julho de 2017 para 408 casos em julho de 2018. 

Também houve alta no número de estupros no estado. Eram 374 casos registrados em delegacias, em julho de 2017, que passaram para 408 casos, em julho deste ano. Os dados completos podem ser acessados na página do ISP na internet, através das tabelas estatísticas, selecionando-se o período desejado.

Leia também: Prorrogação da intervenção no Rio é desnecessária, diz general

Os crimes contra o patrimônio, contudo, apresentaram alguma melhora, principalmente nos roubos de cargas e nos roubos de rua. 

Os roubos em julho, comparado ao mesmo mês do ano passado, caíram em todo o estado. O total de roubos caiu de 21.848 em julho de 2017 para 18.246 em julho deste ano. Os roubos em coletivos diminuíram de 1.552 casos, em julho do ano passado, para 1.319 em julho último. O roubo de celular caiu de 2.468 casos, em julho de 2017, para 2.202 em julho deste ano.

Da mesma forma, foi reduzido o total de roubos a pedestres, de 8.567 em julho do ano passado, para 7.500 em julho deste ano. O roubo de cargas também sofreu forte declínio desde o início da intervenção no RJ , caindo de 908 casos, em julho de 2017, para 731 casos em julho de 2018. Até mesmo o roubo de veículos - modalidade que faz o seguro veicular no Rio ser um dos mais caros do país – sofreu redução. Caiu de 4.951 casos, em julho de 2017, para 3.518 casos em julho deste ano.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Comissão Popular da Verdade é criada para monitorar intervenção no Rio

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.