Tamanho do texto

Dois homens e uma mulher são acusados de homicídio qualificado da menina de 12 anos, que foi morta em 8 de junho na cidade de Araçariguama; os três acusados pelo crime estão presos preventivamente, caso segue na Justiça

Vitória Gabrielly desapareceu em 8 de junho e foi encontrada morta no dia 16; três foram acusados por crimes
Reprodução
Vitória Gabrielly desapareceu em 8 de junho e foi encontrada morta no dia 16; três foram acusados por crimes

O Ministério Público do Estado de São Paulo denunciou três pessoas pelos crimes de sequestro, homicídio qualificado e ocultação de cadáver no caso da menina Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, morta em 8 de junho na cidade de Araçariguama, no interior do estado. Com informações do jornal Folha de S. Paulo. 

Os três acusados, dois homens e uma mulher, já estavam presos temporariamente e agora tiveram as prisões convertidas em preventivas pelo MP. O caso da morte de Vitória Gabrielly segue em segredo de Justiça na Vara Criminal da cidade, que deve avaliar a denúncia dos crimes feita pelas 1ª e 3ª promotorias da Justiça de São Roque. 

No caso de a denúncia ser aceita, os serventes de pedreiro Julio Cesar Lima Ergesse, de 24 anos, Bruno Marcel Oliveira, de 33, e a faxineira Mayara Borges de Abrantes, de 24, deverão ser julgados por sequestro, homicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel, que impediu a defesa da vítima, e também por ocultação de cadáver.

Relembre caso da menina Vitória Gabrielly

A adolescente desapareceu no dia 8 de junho na cidade de Araçariguama . As últimas imagens dela foram feitas por câmeras de segurança, quando passava andando de patins pela rua Tocantins, no bairro Vila Nova. De acordo com o boletim de ocorrência divulgado pela polícia, Vitória saiu de casa às 13h30 para andar de patins em um ginásio. As buscas começaram às 19h quando a mãe soube que a filha não estava na casa da tia.

Oito dias depois, em 16 de junho,  o corpo foi encontrado amarrado em uma mata, no bairro Caxambu, que fica a poucos quilômetros do local onde desapareceu.  Ela tinha uma meia dentro da boca, o que indicou que poderia ter morrido por asfixia, o que depois foi confirmado pelo laudo da Polícia Civil, no dia 23 de junho

Leia também: Menina saiu para andar de patins e está desaparecida há sete dias

Antes de a polícia chegar ao local onde estava o cadável, um morador da região cortou as cordas que prendiam Vitória. Foi relatado também que ela tinha marcas nos tornozelos e nos punhos, mas não tinha sinais de estrangulamento nem de abuso sexual. Ela usava as mesmas roupas que no dia do passeio com patins. 

Os três acusados pela morte de Vitória Gabrielly foram presos no final de junho, sendo que dois deles foram encontrados na cidade de Mairinque (SP). O casal foi apontado pelo servente de pedreiro Júlio César Lima Ergesse, que já havia sido indiciado por homicídio doloso, como responsável por transportar a menina em um carro no dia em que ela saiu para andar de patins e desapareceu em Araçariguama.