Sem sinais de estrangulamento e abuso sexual, corpo da adolescente foi encontrado amarrado a uma árvore com uma meia na boca; saiba mais

Corpo de Vitória Gabrielly é encontrado ao lado de um par de patins, oito dias após seu desaparecimento, em Araçariguama
Reprodução/TV Tem Araçariguama
Corpo de Vitória Gabrielly é encontrado ao lado de um par de patins, oito dias após seu desaparecimento, em Araçariguama

A Polícia Civil de São Paulo divulgou o laudo preliminar com as primeiras provas colhidas por peritos do Instituto de Criminalística (IC) sobre o caso da menina de 12 anos, Vitória Gabrielly , e foi apontado que a adolescente morreu por asfixia.

Vitória Gabrielly foi assassinada depois de ter saído de casa para andar de patins, em Araçariguana, no interior de São Paulo. Segundo o laudo, a jovem foi encontrada a cerca de seis quilômetros do local de onde desapareceu , em 8 de junho, e tinha uma meia na boca, o que indica morte por asfixia.

Agora, o IC investiga se essa meia tinha algum produto químico que possa ter induzido ou acelerado a morte, e também busca material de DNA em suas roupas e nas cordas que a prendiam a uma árvore, onde foi encontrado o corpo.

Antes de a polícia chegar, um morador da região cortou as cordas que prendiam Vitória. Foi relatado também que ela tinha marcas nos tornozelos e nos punhos, mas não tinha sinais de estrangulamento nem de abuso sexual.

A polícia trabalha com a hipótese de assassinato por vingança. A adolescente pode ter sido pega por seus algozes por engano.

Informações sobre o caso de Vitória Gabrielly valem R$ 50 mil

Com poucas pistas a respeito do crime, a Secretaria da Segurança Pública de São Paulo anunciou neste sábado (23) que está oferecendo até R$ 50 mil como recompensa para quem fornecer informações que ajudem a solucionar o caso.

As denúncias podem ser feitas diretamente à autoridade policial competente por carta, telefone, e-mail ou pessoalmente, sendo garantido sigilo; via Disque Denúncia, pelo telefone 181; ou pelo Web Denúncia, que conta com dupla criptografia de dados para manter o anonimato.

No fim do processo, o denunciante receberá um número do protocolo e uma senha para acompanhar o andamento da denúncia. Para ter acesso à recompensa, é possível resgatá-la em qualquer caixa do Banco do Brasil, com um número de cartão bancário virtual.

Leia também: Feira de Santana contabiliza 18 assassinatos em um fim de semana

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.