Tamanho do texto

Segundo assessoria, as linhas estarão abertas a partir das 4h da manhã na terça e quarta-feira, fechando à 1h; exceção é a linha 13-Jade da CPTM

Metrô e CPTM vão abrir mais cedo e fechar mais tarde nesta terça e quarta-feira por causa de greve
Rovena Rosa/Agência Brasil - 19.8.2016
Metrô e CPTM vão abrir mais cedo e fechar mais tarde nesta terça e quarta-feira por causa de greve

As linhas da CPTM, do Metrô e da ViaQuatro , concessionária da linha 4-Amarela, irão ampliar o horário de funcionamento nesta terça (29) e quarta-feira (30). Segundo nota da Secretaria dos Transportes Metropolitanos, os paulistanos poderão utilizar as linhas das 4h à 1h da manhã nos próximos dias. 

A ampliação tem como intuito facilitar o deslocamento da população durante a greve dos caminhoneiros, que entrou no oitavo dia nesta segunda-feira (28) . Na madrugada de amanhã, as estações do Metrô e os trens da CPTM já estarão abertas até a 1h. Ainda de acordo com a secretaria, a exceção é a linha 13-Jade da CPTM, que, por enquanto, funciona em operação assistida das 10h às 15h.

"Desde a última quinta-feira (24),  já estamos operando com 100% da frota de trens, inclusive nos horários de menor fluxo, o entrepicos, para reforço no transporte público na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP) em função da redução dos ônibus em circulação por falta de combustível", aponta a nota. 

Para a ampliação do horário de atendimento e reforço na frota, as companhias postergaram algumas ações de manutenção preventiva das vias e dos trens, sem prejuízo à segurança dos usuários.

Outras consequências da greve em São Paulo

Devido à crise de desabastecimento desencadeada pela greve, o funcionamento de alguns serviços continua afetado na cidade de São Paulo neste início de semana. 

Sobre os ônibus e a frota municipal , o prefeito confirmou que rodaram 68% da frota na manhã de hoje. "Tivemos problemas apenas em 12 das 1.300 mil linhas da cidade. No pico da noite, no fim da tarde, também vamos operar com 68% e 70%, pois ainda há combustível para tanto". Ele ainda afirma ter combustível para o transporte amanhã na mesma quantia.  

Leia também: Prefeito de São Paulo aponta prejuízo de R$ 150 milhões em oito dias de greve

A Companhia de Engenharia de Tráfego ( CET ) manteve a suspensão do rodízio municipal de veículos. Os agentes de trânsito foram orientados a não aplicar multas aos motoristas que tiverem pane seca, fazendo apenas a remoção do veículo para um local seguro e onde não prejudique o trânsito.

O prefeito Bruno Covas assinou nesse domingo (27) um decreto que autoriza a circulação de caminhões na cidade. A medida se soma aos esforços do governo paulista para tentar dissipar os efeitos da greve no estado . Ainda na noite de sábado (26), o governador Márcio Françã (PSB) anunciou a suspensão da cobrança de pedágio por eixo suspenso de caminhões no Rodonael e perdoou as multas aplicadas aos caminhoneiros em razão dos bloqueios de rodovias.

Em relação aos aeroportos do estado, o Aeroporto Internacional de Guarulhos e o aeroporto de Congonhas operam normalmente nesta segunda-feira. De acordo com a Infraero, oito aeroportos administrados pela empresa sofrem com a falta de combustível: o de São José dos Campos (SP), de Uberlândia (MG), de Ilhéus (BA), de Campina Grande (PB), de Juazeiro do Norte (CE), de Aracaju (SE), de João Pessoa (PB), e de Teresina (PI). 

Questionado sobre a possibilidade de decretar feriado municipal, Covas diz que “é uma medida extrema” pelo impacto que tem no sistema financeiro e arrecadação. Desse modo, ainda não considera realizar tal medida em São Paulo . “A ordem está garantida na cidade, ainda não é o momento de decretar feriado, estamos a todo momento monitorando para que, se preciso, tomemos medidas mais drásticas”. 

Leia também: Todas as linhas do Metrô de SP operam normalmente nesta segunda-feira 


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.