Tamanho do texto

Prefeitura diz que serviços essenciais, como coleta de lixo, ambulâncias e transporte, têm autonomia para funcionar normalmente nos próximos dias

Tanque com diesel é escoltado pela PM em São Paulo nesta sexta-feira (25)
Reprodução/TV Globo
Tanque com diesel é escoltado pela PM em São Paulo nesta sexta-feira (25)

A Polícia Militar e a Guarda Civil Metropolitana de São Paulo irão escoltar caminhões de combustível para que eles cheguem seguros até os postos da capital, anunciou a prefeitura da cidade neste domingo (27).

Leia também: Governo diz que acordo reduziu bloqueios em 77% em SP; prefeito libera caminhões

Embora aproximadamente 80% das rodovias do estado tenha sido liberadas após o acordo entre o governador Márcio França (PSB) e representantes dos caminhoneiros grevistas na tarde de sábado (26), postos de combustível da capital seguem desabastecidos.

A orientação inicial é garantir o abastecimento de veículos do estado e da prefeitura que atuam em serviços básicos. De acordo com a prefeitura, a cidade terá garantida, assim, a autonomia do transporte público, da coleta de lixo, do sistema de educação e saúdo para os próximos dias. Estes aparelhos públicos, no entanto, funcionarão com capacidade reduzida.

Exército atua no Rio de Janeiro

Um grupo de militares da Polícia do Exército chegou neste domingo (27) na região Refinaria Duque de Caxias. Lá estão localizadas as principais distribuidoras de combustíveis do estado do Rio.

Os manifestantes presentes, contudo, disseram que só vão permitir a saída dos caminhões-tanque se for para órgãos públicos. Mais cedo, houve princípio de tumulto quando um caminhoneiro tentou entrar na distribuidora para abastecer o caminhão-tanque e teve uma de suas mangueiras cortadas.

Porta-voz do Comando Militar do Leste, o coronel Carlos Cinelli disse que, por questões de segurança, o destino do combustível não pode ser revelado. Informou, no entanto, que uma das prioridades é abastecer o setor de saúde, principalmente hospitais.

Leia também: Petroleiros anunciam greve de 72 horas a partir de quarta-feira

DF em estado crítico

Com a greve dos caminhoneiros , o nível de combustível do aeroporto de Brasília chegou ao estado crítico. As reservas caíram a 3,3% e estão perto de se esgotar, de acordo com a Inframérica, que administra o terminal.

As reservas diminuíram porque não chegaram novos caminhões de abastecimento neste domingo (27). Ontem (26), após a chegada de dez caminhões-tanque, o nível das reservas de combustível alcançou 12,5%.

Em entrevista coletiva concedida, o governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg, disse que viaturas da Força Nacional garantirão a chegada de álcool anidro, para a mistura de gasolina e do óleo diesel, e querosene de aviação à capital federal.

* Com informações da Agência Brasil

Leia também: Ladrões furam tanque de carro para furtar gasolina e deixam dono a pé em SP

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.