Tamanho do texto

Além do crime de tortura, a investigação apontou que os rapazes são envolvidos com o tráfico de drogas na cidade de São Sebastião do Maranhão

Dois irmãos foram presos preventivamente pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) acusados de praticarem crimes de tortura
Reprodução
Dois irmãos foram presos preventivamente pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) acusados de praticarem crimes de tortura

Dois irmãos foram presos preventivamente pela Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG) acusados de praticarem crimes de tortura. De acordo com a PCMG, os rapazes teriam torturado um homem que trabalhava em uma construção na fazenda de propriedade de um dos irmãos. Um rapaz, de 23 anos, também teria participado das agressões contra a vítima.

Leia também: Justiça manda Youtube excluir vídeos que difamam a memória de Marielle Franco

O torturado teria furtado da propriedade em São Sebastião do Maranhão, na Vale do Rio Doce, Minas Gerais , oito ovos de galinha e como castigo os irmãos desferiram chicotadas na região do rosto, das costas e nos membros inferiores, além de golpes de turquesa.

A Polícia Civil informou ainda que passou seis meses investigando o caso até deflagrar, na segunda-feira (19) a operação “Al Capone”. Os policias cumpriram mandados de busca e apreensão e de prisão preventiva. .

Segundo a investigação, o crime de tortura ocorreu em setembro de 2017 e foi gravado em vídeos pelos próprios agressores. As imagens foram divulgadas nas redes sociais por um dos irmãos para “servir de exemplo” do que poderia acontecer com os desafetos dos irmãos.

Leia também: Militares estão entre 22 presos no DF suspeitos de comércio ilegal de armas

Irregularidades

De acordo com a PCMG em Santa Maria do Suaçuí, as investigações apontaram ainda suspeitas de prática de tráfico de drogas. A operação resultou na prisão dos três suspeitos e na apreensão de mais de R$ 6 mil em dinheiro, um cheque no valor de R$ 2 mil, várias roupas camufladas semelhantes às utilizadas pelo Exército, diversos documentos comprovando intensa movimentação financeira, relógios de luxo, vários aparelhos celulares, além de quatro automóveis (sendo um deles blindado) e uma motocicleta. Todos esses veículos apresentavam indícios de adulteração.

Operação em Minas Gerais resultou na prisão dos três suspeitos e na apreensão de mais de R$ 6 mil em dinheiro
Divulgação/ PCMG
Operação em Minas Gerais resultou na prisão dos três suspeitos e na apreensão de mais de R$ 6 mil em dinheiro

Durante as buscas na residência dos irmãos, um deles chegou a quebrar o celular e escapar do local, momento em que foi contido pelos policiais e conduzido à Delegacia de Polícia Civil em Santa Maria do Suaçuí.

Na casa do rapaz que ajudou os torturadores, os policiais encontraram diversas aves da fauna silvestre, sendo que a propriedade das aves foi assumida pelo pai do suspeito, que foi preso em flagrante e também conduzido à delegacia.

Leia também: População evita apreensão de salgados e ambulante se emociona em Montes Claros

Segundo o delegado Rodrigo Antunes, de Minas Gerais, o nome da operação é em alusão ao gângster Al Capone, que foi preso pelo crime de sonegação fiscal. "No caso dos irmãos, nós os prendemos pelo crime de tortura , mesmo sendo suspeitos de atuarem no tráfico de drogas na região”, disse.