Tamanho do texto

Polícia Civil deflagrou duas operações nesta manhã em 21 cidades do estado; ofensivas apreenderam computadores e já somam 45 criminosos presos

Operações da Polícia Civil contra a pedofilia foram deflagradas a partir do monitoramento de sites especializados
Reprodução/Twitter
Operações da Polícia Civil contra a pedofilia foram deflagradas a partir do monitoramento de sites especializados

A Polícia Civil de São Paulo deflagrou na manhã desta terça-feira (20) duas operações no  combate a redes de pedofilia na capital paulista e cidades da região metropolitana de SP.

Uma das ofensivas, batizada de Operação Harpócrates, tem como alvos 49 suspeitos espalhados por 21 cidades do estado. Segundo o Departamento de Polícia Judiciária da Macro São Paulo no combate à Pedofilia (Demacro) da cidade de Taboão da Serra, responsável por essa ação, ao menos 33 criminosos foram presos em flagrante até o meio-dia desta terça-feira. 

Os mandados de busca e apreensão são cumpridos nas cidades de Carapicuíba (10), Santo André (8), Taboão da Serra (7), São Paulo (6), São Bernardo do Campo (6), Osasco (3), Guarulhos (3), Mogi das Cruzes (3), Diadema (2) e Praia Grande (1).

De acordo com a Polícia Civil, as investigações que deram origem a essa operação foram iniciadas há cerca de seis meses a partir do recebimento de denúncias anônimas. Os policiais conseguiram identificar, por meio dos serviços de inteligência e do trabalho de campo, diversos computadores usados para acessar sites com conteúdo pornográfico envolvendo crianças e adolescentes. Foi a partir desses dados que os investigadores conseguiram chegar ao endereço dos criminosos.  

O nome dessa operação tem como origem o deus Harpócrates, que na mitologia grega representa o deus do silêncio e protetor das crianças.

Leia também: Paquistanês marca encontro com criança e é pego por 'caçadores de pedófilos'

Operação prende 12 na capital paulista

A segunda ofensiva desta manhã contra uma rede de pedófilos foi concluída pouco antes do meio-dia. Coordenada pelo DHPP (Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa), a ação contou com o cumprimento de 24 mandados de busca e apreensão.

Doze pessoas foram presas em flagrante em posse de material com conteúdo associado a práticas sexuais com crianças e adolescentes. Foram apreendidos vários computadores e dispositivos eletrônicos que serão periciados pelos investigadores da Polícia Civil.

De acordo com a delegada responsável pelo caso, Kelly Cristina Cesar de Andrade, as investigações tiveram início no fim do ano passado e os alvos foram identificados a partir do monitoramento de sites com conteúdo classificado como pedofilia.

Leia também: Padre de Santa Catarina é preso suspeito de abusar de cinco crianças