Um vídeo que circula nas redes sociais mostra a venda escancarada de dinheiro falso em plena luz do dia na Rua Uruguaiana, na região central do Rio de Janeiro. O comércio na calçada e as cédulas falsificadas ficam expostas sobre uma banca.

Leia também: Detalhista, Rota prende criminoso que falsificava milhares de notas em São Paulo

Nas imagens, gravadas por um celular, é possível perceber que entre o  dinheiro falso estão notas de 100 e 20 reais falsificadas, assim com exemplares de moedas estrangeiras, como dólares e euros. 

No vídeo não é possível identificar os criminosos que estão fazendo o comércio ilegal das notas falsificadas. A única coisa que podemos notar é a falta de fiscalização e o descaso dos brasileiros com as leis e a moral. "Aparentemente, não tem mais saída pra gente, as pessoas estão vendendo dinheiro falso numa banca. É um reflexo dos nossos políticos", diz, indignado, o autor do vídeo.

As chances para mudar isso, exigir leis mais duras, fiscalização pesada e colocar atrás das grades os culpados por esse e outro qualquer tipo de crime, começam em 2018. Você, eleitor, é o principal fator dessa mudança.

Na hora de escolher seu candidato, saiba escolher o que melhor representa o combate ao crime. Aquele que vive longe de alianças baseadas em interesses e que não tenha seu nome envolvido em falcatruas. Saiba de onde ele vem e para onde ele vai. E acima de tudo, saiba quais são as suas propostas para que depois você cobre. Não seja acomodado com tudo de errado que vê a sua volta.

Leia também: Suzane von Richthofen ganha aval para estudar dentro de cadeia

'Operação Moneda'

A Polícia Federal (PF) deflagrou no último mês de setembro a "Operação Moneda" para combater um grupo que comprava produtos na internet com moeda falsa. Os agentes cumpriram 26 mandados expedidos pela Justiça Federal em São José dos Campos (SP): 10 mandados de busca e apreensão, 10 mandados de prisão preventiva e seis mandados de prisão temporária.

Participam da Moneda 49 policiais federais, dentre delegados, agentes e escrivães, havendo a participação, ainda, do Grupo de Pronta Intervenção - GPI da Polícia Federal, especializado em situações de risco.

undefined
Creative Commons/Pixabay
Polícia Federal realizou operação para encontrar quadrilha que fabricava notas falsas

As investigações começaram em outubro de 2016 depois que uma pessoa foi a Polícia Federal em São José dos Campos e relatou que havia anunciado, pela internet, a venda de um celular. Segundo a vítima, um homem foi até sua casa, retirou o aparelho celular e pagou utilizando R$ 1.100 em cédulas falsas- a vítima só percebeu depois.

Por meio de interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça Federal em São José dos Campos, foram identificados três suspeitos da prática dos crimes de associação criminosa e moeda falsa na região do Vale do Paraíba, bem como vários outros suspeitos e quadrilhas atuando na fabricação e distribuição de cédulas falsas em São Paulo, Guarulhos e Mogi das Cruzes, inclusive remetendo grande quantidade de cédulas falsas a outros Estados como Rondônia, Rio de Janeiro, Paraíba e Brasília.

Leia também: Três homens são presos, suspeitos de matarem prefeito de Colniza

O balanço da Operação Moneda foi o fechamento de uma "fábrica" de cédulas falsas na cidade de Mogi das Cruzes, com prisão em flagrante de três pessoas e apreensão de cédulas falsas e equipamentos utilizados para fabricação das notas; prisão de nove suspeitos, incluindo dois presos em flagrante no Estado da Paraíba; e apreensão de mais de R$ 200 mil em dinheiro falso, incluindo valores remetidos pelos suspeitos via Correios.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários