Dois policiais foram presos acusados de terem feito os disparos que mataram a turista espanhola , Maria Esperanza Ruiz Jimenez, de 67 anos, na manhã desta segunda-feira (23), na favela da Rocinha, no Rio de Janeiro.

De acordo com a Polícia Militar do Rio, a corregedoria da corporação determinou a prisão em flagrante pela morte da turista de um tenente e um soldado, que foram levados para a Unidade Prisional da PM, em Niterói, região metropolitana do Rio. Os nomes dos dois não foi divulgado.

undefined
Reprodução/ TV Globo
Turista espanhola foi morta com tiro no pescoço na manhã desta segunda-feira (23), no Rio

"Após análise do fato, caberá ao Ministério Público Militar do Estado Rio de Janeiro decidir os rumos da investigação”, diz a nota divulgada pela PM.

A  mulher estava dentro de um carro de transporte de turistas, com mais três espanhóis e um italiano. Segundo versão da polícia, o veículo furou um bloqueio policial no Largo do Boiadeiro, na Rocinha , por volta das 10h30 e os agentes efetuaram os disparos. Mas o motorista do carro, um guia italiano que mora no país há quatro anos,  negou ter furado blitz ou qualquer outra ordem de parar.

Jimenez  foi encaminhada para o Hospital Miguel Couto, na Gávea, mas já chegou ao local sem vida.


Investigação

O delegado titular da Delegacia de Homicídios da Capital (DH-Capital), Fabio Cardoso, disse que todos os detalhes do crime estão sendo apurados e que as prisões devem ocorrer ainda nesta segunda. Ele condenou o incidente, classificando-o como "assassinato". "Uma turista ser atingida por um tiro, ser assassinada, é inadmissível e vamos atuar para identificar essa pessoa e colocar na cadeia para que ele responda por essa covardia", afirmou o delegado.

A PM afirma que segue o Manual de Abordagem, que determina que, em casos como este, policiais não devem fazer disparos e sim, perseguir o veículo que não obedeceu à ordem de parar e bloquear sua passagem assim que for possível. O porquê a medida não foi seguida será um dos alvos da investigação, de acordo com a corporação.

O Consulado da Espanha no Rio de Janeiro informou que está acompanhando o trabalho de investigação e prestando apoio às famílias da vítima e dos outros dois turistas espanhóis que também viajavam no carro. Ainda não há informações sobre a liberação do corpo e há quanto tempo a turista espanhola estava na cidade.

Leia também: Crivella cobra retorno das Forças Armadas à Rocinha após novos tiroteios

*com informações da Ansa e Agência Brasil

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários