Soldados das Forças Armadas já auxiliaram no cerco à favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro
Vladimir Platonow/Agência Brasil - 22.9.17
Soldados das Forças Armadas já auxiliaram no cerco à favela da Rocinha, em São Conrado, na zona sul do Rio de Janeiro

Militares das Forças Armadas retornaram, na manhã desta terça-feira (10), à comunidade da Rocinha, na zona Sul do Rio de Janeiro , para auxiliar a polícia em buscas no entorno da favela.

Leia também: Em fim de semana violento, Rocinha tem intenso tiroteio neste domingo

De acordo com a Secretaria Estadual de Segurança, os militares estão dando “apoio técnico” à Polícia Militar (PM) em ações de varredura na mata que faz limite com a comunidade da Rocinha .

Na madrugada desta terça, uma mulher foi presa e duas adolescentes, apreendidas dentro de um ônibus. Segundo as informações oficiais, elas estavam com drogas e anotações sobre atividades criminosas, na Estrada da Gávea.

No fim de setembro, as Forças Armadas já tinham ocupado setores da comunidade por uma semana, também para auxiliar a polícia fluminense. As Forças Armadas foram chamadas em setembro, depois que grupos criminosos rivais entraram em confronto armado pelo controle dos pontos de venda de drogas ilícitas da comunidade.

Você viu?

Leia também: Temer pede a ministros que auxiliem os afetados pelo ataque à creche em Janaúba

Nesta segunda-feira (9), novos confrontos entre policiais e criminosos foram registrados na favela. Segundo a PM, dois corpos foram localizados na Rua 1, na manhã de ontem. Mais de 500 policiais militares ocupam atualmente a favela.

Tiroteio no último domingo

No último domingo (8), um homem foi baleado na comunidade. Segundo a Polícia Militar (PM), a vítima foi deixada por outras pessoas na porta do hospital Casa de Portugal, na zona norte da cidade, a 13 quilômetros da comunidade. O homem foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e encaminhado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, onde está sob custódia dos policiais militares.

Também no domingo, um morador já havia sido baleado no ombro durante um confronto entre policiais e criminosos na Rocinha. Ele já recebeu alta, mas não ficou claro a procedência do tiro que o acertou. No sábado (7), uma pesquisa revelou que pelo menos sete em cada dez moradores da cidade do Rio de Janeiro desejam sair da cidade por causa da violência , sendo que 67% afirmaram que ouviram algum tiro nas últimas semanas.

Leia também: Brasileiro é quem menos paga 'propinas do dia a dia' na América Latina, diz ONG

* Com informações da Agência Brasil.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários