Tamanho do texto

Evento que acontece no próximo dia 13 tem obras em exposição na Galeria Aloisio Cravo, localizada na Rua Groenlândia, 1897, no Jardim Europa

Referência no mercado de arte brasileiro, Aloisio Cravo abre sua galeria para uma exposição que acontece do dia 8 à 13 de junho. Ao final da mostra, o leiloeiro vai realizar um leilão de arte com obras especiais que conseguiu reunir.

Leia também: Exposição reúne obras de artes especiais para leilão em São Paulo

 Obra de Iberê Camargo  está entre as peças do acervo da exposição
Iberê Camargo
Obra de Iberê Camargo está entre as peças do acervo da exposição

De acordo com Aloisio Cravo a expectativa para o leilão de arte são as melhores. "Por ter um acervo de alta qualidade, acredito que os colecionadores vão se apresentar. Em tempos dificeis é a qualidade que move os colecionadores. Esse acervo é o melhor que eu reúno em anos. Acredito que vou conseguir tirar esse pessoal da inércia" afirmou o leiloeiro. 

Nos últimos anos, o mercado de arte dentro do Brasil viveu um momento de estagnação acompanhando todo o cenário que o País enfrenta. A ideia de Aloisio é fazer o mercado da arte continuar girando e conta com muito clientes, que já confirmaram presença no leilão, para concretizar a sua ideia.

Responsável por mais de 50 leilões, entre eles o da massa falida do Banco Santos onde uma obra de Victor Brecheret foi vendida por R$ 2,7 milhões, Aloisio Cravo afirma que é uma grande oportunidade para quem quer comprar e também para quem quer observar obras de extrema qualidade.

Obra de Alfredo Volpi
Alfredo Volpi
Obra de Alfredo Volpi

Entre as peças de maior destaque da exposição estão uma obra de Alfredo Volpi avaliada em R$ 1,600 milhão, uma de Iberê Camargo cotada em R$ 900 mil e uma de José Pancetti de R$ 700 mil. Ao todo, o acervo que também possuiu conjutos de Tomie Ohtake, Geraldo Barros, e Mira Schendel está avaliado em R$ 12 milhões.

Leia também: Como a arte invade o debate sobre o gênero sexual?

Por fim, Aloisio Cravo destaca que o valor de uma obra em um leilão de arte vai muito além do preço propriamente dito.  "O colecionador vai comprando coisas melhores com o tempo. A obra de arte é um investimento à medida que você vai selecionando suas compras. Mas isso é uma consequência e não um pressuposto. A pessoa compra uma obra que gere uma relação boa, que não a deixe incomodada. As pessoas buscam uma obra de um artista que ela gosta, com valor correto, informações certas, mas essa experiência ela vai ganhando com o tempo. Um exemplo disto é o Abaporu da artista brasileira Tarsila do Amaral comprada por R$ 1,5 milhão que hoje tem um valor inestimável com boatos de que já ofereceram R$ 50 milhões por ela. Isso mostra que não pode deixar passar uma oportunidade", finaliza Aloisio Cravo.

Obra de José Pancetti
José Pancetti
Obra de José Pancetti


Conheça o regulamento do leilão

1.- A Participação no leilão implica no entendimento e na aceitação do presente Regulamento.

2.- As obras que compõem o presente Leilão de Arte, estarão em exposição à Rua Groenlândia, 1897 - São Paulo, nos dias 8, 9, 12, 13 de junho de 2017, das 10:00 às 20:00 horas, nos dias 10 e 11 de junho, das 12:00 às 20:00 e no dia 13 de junho das 10:00 às 18:00 horas. No pregão as obras serão apresentadas por meio de projeção.

3.- Todas as obras foram cuidadosamente selecionadas e examinadas pelo Leiloeiro Oficial Aloisio Cravo Cardoso, que se responsabiliza pela sua autenticidade, sem prejuízo da responsabilidade solidária do proprietário da obra. No caso de eventual inautenticidade, devidamente comprovada, através, de 2 (dois) laudos de peritos idôneos, fcará desfeita
a venda, recebendo o arrematante a devolução integral do preço pago, desde que a reclamação seja feita no prazo de 30 (trinta) dias, a contar da arrematação.
Findo o prazo acima, não serão mais admitidas quaisquer reclamações, considerando-se defnitiva a venda.

4.- As obras são vendidas no estado, pelo que se solicita aos interessados seu prévio e detido exame, não sendo admitidas reclamações posteriores quanto às condições físicas de qualquer lote.

5.- O Leilão terá lugar no dia 13 de junho de 2017, a partir das 21:00 horas, à Av. Brigadeiro Luís Antônio, 4700 - São Paulo, cabendo ao Leiloeiro Ofcial Aloisio Cravo Cardoso apregoá-lo (no pregão as obras serão apresentadas por meio de projeção). Ofertas por escrito poderão ser feitas antes do Leilão.

Leia também: O fenômeno das grandes exposições de arte em São Paulo

6.- O arrematante se compromete a efetuar o pagamento das obras adquiridas, acrescido do valor de 5% da comissão do leiloeiro, no prazo de 2 (dois) dias da data da arrematação. Se o arrematante não efetuar o pagamento no prazo estipulado, poderão o Leiloeiro, o Consignatário ou o Proprietário da coisa vendida:
a) considerar desfeita a venda e executar judicialmente o arrematante para cobrar o valor de 50% (cinquenta por cento), a título de multa compensatória e perdas e danos e, a comissão do leiloeiro, com correção monetária, juros e demais acessó-rios, ou;
b) executar judicialmente o arrematante, pelo total do preço da arrematação e da comissão, com correção monetária, juros e demais acessórios pertinentes.
Em uma ou em outra das hipóteses, poderá o leiloeiro consignatário, ou o proprietário da coisa vendida promover o saque de letras de câmbio à vista, das referidas quantias.

7.- As obras adquiridas devem ser retiradas impreterivelmente, até 2 (dois) dias após a sua arrematação, por conta e risco do arrematante. A entrega far-se-á no dia 14 de junho das 12:00 às 19:00 horas, e no dia 19 de junho das 10:00 às 19:00 horas contra o pagamento do saldo, à Rua Groenlândia, 1897.

8.- Caso a obra não seja retirada no prazo previsto na cláusula n.º 7, e o arrematante não tiver efetuado o pagamento, será passível da competente execução judicial dessas quantias, aplicável ao disposto na letra “a” do contexto da cláusula 6ª deste regulamento.

9.- O Leiloeiro, como mandatário que é‚ dos vendedores, e agindo em seu nome, reserva-se o direito de não aceitar lances,agrupar ou retirar lotes, sem nenhuma obrigação de esclarecer os motivos de suas decisões.

10.- Qualquer litígio fcará subordinado à Legislação Brasileira e à jurisdição dos tribunais da Cidade de São Paulo, qualquer que seja o domicílio das partes. Casos omissos serão regulados pela Legislação pertinente e em especial pelo Decreto 22.427/33, e suas disposições complementares.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.