Tamanho do texto

Usuários de drogas montaram barricadas para impedir avanço dos agentes; polícia usou bombas para conter manifestantes e ao menos um foi preso

Usuários de drogas e frequentadores da cracolândia entraram em confronto com guardas civis em São Paulo
Rovena Rosa/Agência Brasil - 10.5.17
Usuários de drogas e frequentadores da cracolândia entraram em confronto com guardas civis em São Paulo

Um grupo de usuários de drogas e frequentadores da cracolândia, na região central de São Paulo, e integrantes da Guarda Civil Metropolitana (GCM) voltaram a entrar em confronto  no início da tarde de desta quarta-feira (10). Ao menos uma pessoa foi detida.

O tumulto ocorreu quando agentes da corporação atendiam ao chamado de uma ocorrência de roubo no local. Os moradores de acampamentos da cracolândia reagiram à ação da Guarda Civil com uma barricada, ateando fogo em objetos, na altura do número 100 da Alameda Dino Bueno, no bairro Santa Cecília.

A Polícia Militar foi acionada e faz reforço do monitoramento no local. Foram usadas bombas de gás lacrimogênio e de efeito moral para acuar os manifestantes. Diversas lojas baixaram as portas durante a confusão na região.

De acordo com o jornal Folha de S.Paulo, um fotógrafo teve a carteira e o celular roubados durante o corre-corre provocado pelo confronto entre GCMs e usuários de drogas.

Em nota, a Polícia Militar informou que Guardas Civis Metropolitanos (GCMs) solicitaram apoio após flagrarem um roubo e perseguirem os suspeitos, que fugiram para o meio dos dependentes químicos, dando início a um tumulto. Uma pessoa foi atingida por disparo de arma de fogo, socorrida e liberada. Duas pessoas foram detidas e encaminhadas ao 77ºDP (Santa Cecília), onde o caso está sendo registrado.

Leia também: São Paulo tem frota de ônibus sucateada e população espera atitude da prefeitura

Desafio para Doria

O prefeito de São Paulo anunciou no início deste mês as diretrizes do Redenção, programa que visa a recuperação de viciados em drogas.

Entre as ações propostas pela prefeitura paulistana, estão os fechamentos de hotéis e pensões que são usados com frequência pelos usuários de drogas, um programa de recolhimento de viciados visando a internação em clinicas de reabilitação e até mesmo um sistema de drones para monitorar a região. "A área será revitalizada, teremos creches, CEU, unidades da Polícia Militar e da Guarda Cívil", disse o prefeito, que demonstrou interesse em entrar na justiça para fazer a internação compulsória dos viciados que não queiram tratamento.

O governador do estado, Geraldo Alckmin, disse que o governo estadual também terá participação no programa. "Pode escrever, a cracolândia vai desaparecer", afirmou Alckmin. Apesar da apresentação do programa, a prefeitura não quis dar um prazo para o início do Redenção.

Leia também: Doria perde a batalha para a Cracolândia

*Com informações da Agência Brasil

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.