Tamanho do texto

Capital paulista registrou recorde de congestionamento do ano, com até 200 km de trânsito no início da manhã desta quarta-feira; a CET anunciou medidas extraordinárias, com liberação de rodízio e Zona Azul

Paralisação geral afeta circulação de ônibus na zona leste da capital paulista
iG São Paulo/Flávia Denone - 15.03.2017
Paralisação geral afeta circulação de ônibus na zona leste da capital paulista

A manhã desta quarta-feira (15) está marcada pela paralisação geral de funcionários do Metrô, ônibus e bancos em todo o País. Em São Paulo, os ônibus voltaram a circular por volta das 9h, após 15 empresas liberarem veículos de 512 linhas. O Metrô funciona parcialmente. 

No dia de paralisação geral , a capital paulista teve recorde de trânsito do ano , com mais de 170 km em toda a cidade por volta das 9h, sendo que a zona sul é a que registrava maior tráfego, com 59 km de congestionamento. O maior índice já registro pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) é de 249 km, às 10h, no dia 23 de maio de 2012. 

Leia também: Apesar de liminar que proíbe greve, metroviários confirmam paralisação de 24h

A região oeste da capital paulista tem 41 km de congestionamento, a zona leste registra 31 km, a zona norte tem 25 km e o centro apresenta 15 km (por volta das 9h). Segundo o Metrô, os trens estão funcionando parcialmente nesta quarta-feira, tendo início às 6h25 na região mais central de São Paulo. 

Já os ônibus ainda não estavam circulando até as 8h.  Usuários da zona leste relataram caos com a chegada dos primeiros ônibus próximo à estação de metrô Carrão. "As pessoas estão entrando pela porta dos fundos, do meio. Estão todos desesperados", contou Flávia Denone ao iG

Trechos em operação, segundo o Metrô:

Linha-Azul: entre as estações Ana Rosa e Luz - integração com as linhas 2-Verde em Ana Rosa e Paraíso, 3-Vermelha em Sé, e 4-Amarela, 7-Rubi (CPTM) e 11-Coral (CPTM) em Luz;

Linha 2-Verde: entre as estações Ana Rosa e Clínicas – integração com as linhas 1-Azul em Ana Rosa e Paraíso, e 4-Amarela em Consolação;

Ônibus voltaram a circular, aos poucos, na capital paulista e usuários fazem filas
iG São Paulo/Flávia Denone - 15.03.2017
Ônibus voltaram a circular, aos poucos, na capital paulista e usuários fazem filas

Linha 3-Vermelha: entre as estações Marechal Deodoro e Bresser/Mooca – integração com as linhas 1-Azul em Sé, 4-Amarela em República, e 7-Rubi (CPTM), 10-Turquesa (CPTM), 11-Coral (CPTM) e 12-Safira (CPTM) em Brás;

Linha 5-Lilás: em toda extensão entre Capão Redondo e Adolfo Pinheiro – integração com a linha 9-Esmeralda (CPTM) em Santo Amaro.

Rodízio e Zona Azul liberados

A CET anunciou medidas extraordinárias para o dia de greve geral, entre elas a suspensão do Rodízio Municipal, somente para automóveis. A Zona Azul também foi liberada. 

Leia também: Metrô de São Paulo entrará em greve nesta quarta-feira

Além disso, a Companhia de Engenharia de Tráfego anunciou que os corredores de ônibus estão liberados para o tráfego de táxis, com ou sem passageiros, e ônibus fretados. Durante toda a manhã, até o meio-dia, carros poderão circular nas faixas exclusivas para ônibus. O estacionamento em vagas da Zona Azul está liberado gratuitamente.

"A decisão foi tomada preventivamente para o caso de o Sindicato dos Motoristas não cumprir as decisões judiciais obtidas pela SPTrans e Prefeitura, durante a tarde desta terça-feira (14), que determinam que a operação dos ônibus seja mantida durante a quarta-feira, sob pena de multa ao sindicato", anunciou a CET em nota. 

As medidas tomadas para esta quarta-feira são:

-Rodízio Municipal de Veículos será suspenso durante todo o dia para os carros. Restrições a caminhões continuam valendo normalmente;

Estação Tatuapé, na zona leste de São Paulo, fechada por volta das 9h15 desta quarta
iG São Paulo/Flávia Denone - 15.03.2017
Estação Tatuapé, na zona leste de São Paulo, fechada por volta das 9h15 desta quarta

- Corredores exclusivos de ônibus serão liberados para a circulação de táxis, com ou sem passageiro, e ônibus fretados durante todo o dia;

- Faixas exclusivas de ônibus serão liberadas para carros até as 12h;

- Estacionamento em vagas de Zona Azul está liberado durante todo o dia;

- A circulação de carros será totalmente liberada no Viaduto Plínio de Queiroz durante todo o dia;

- As faixas reversíveis do período da manhã serão mantidas até as 10h. São elas: Ponte das Bandeiras, Ponte dos Remédios, Radial Leste, Conselheiro Carrão, Ponte do Limão, Ponte da Casa Verde, Ponte João Dias e Ponte do Piqueri.

- No período da tarde, as faixas reversíveis irão seguir a operação normal.

 Leia também: Prazo para apresentar emendas à reforma da Previdência é adiado para esta terça

Liminar na Justiça proibiu greve

Funcionários do Metrô de São Paulo em assembleia nesta terça (14) para organizar a paralisação geral
Divulgação/Sindicato dos Metroviários de São Paulo
Funcionários do Metrô de São Paulo em assembleia nesta terça (14) para organizar a paralisação geral

Em tentativa de evitar a adesão dos metroviários à paralisação geral, prevista para esta quarta, o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) concedeu uma liminar ao Metrô determinando que o Sindicato dos Metroviários mantivessem o efetivo de 100% dos serviços nos horários de pico, ou seja, das 6h às 9h e das 16h às 19h. Nos demais horários, a exigência é de que haja 70% dos funcionários trabalhando normalmente. Caso a ordem seja descumprida, o sindicato estará sob pena de aplicação de multa diária  no valor de R$ 100 mil. Contudo, os metroviários decidiram manter a decisão de pararem por 24h, começando às 0h desta quarta-feira.