Tamanho do texto

Objetivo dos exames é a confirmação da perda definitiva e irreversível das funções cerebrais; em seguida, órgãos da esposa de Lula serão doados

Marisa Letícia teve morte cerebral anunciada na manhã desta quinta-feira, em São Paulo
Arquivo/Agência Brasil
Marisa Letícia teve morte cerebral anunciada na manhã desta quinta-feira, em São Paulo

A ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva, de 66 anos, vai passar nesta sexta-feira (3) por um protocolo de avaliação de morte cerebral. A informação foi publicada na página oficial do Facebook do ex-presidente Lula, marido de Marisa.

LEIA MAIS: Família Lula autoriza doação de órgãos de Marisa, que já não tem fluxo cerebral

Segundo o Hospital Sírio Libanês, onde a esposa de Lula está internada, na capital paulista, o exame feito na manhã desta quinta-feira (2) mostrou que a ex-primeira-dama não tinha mais fluxo sanguíneo no cérebro.

De acordo com a mensagem postada na rede social, o primeiro exame do protocolo deve acontecer às 12h e o segundo às 18h desta sexta-feira. O objetivo é comprovar a perda definitiva e irreversível das funções cerebrais. Os procedimentos de doação de órgãos só podem começar após a conclusão do protocolo.


Homenagens à mulher de Lula

Nesta quinta, o presidente Michel Temer compareceu no hospital para prestar condolências ao ex-presidente Lula. Antes de Temer, diversos políticos estiveram no hospital para expressar pesar pela condição de Marisa Letícia, como o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso .

Diversas autoridades enviaram notas de pesar por causa do falecimento. A ex-presidente Dilma Rousseff (PT) classificou a ex-primeira-dama como “uma mulher de fibra, batalhadora, que conquistou espaço e teve importante papel político”.

FHC retribuiu gesto de Lula, que, em 2008, visitou o tucano após a morte da ex-primeira-dama Ruth Cardoso
Ricardo Stuckert
FHC retribuiu gesto de Lula, que, em 2008, visitou o tucano após a morte da ex-primeira-dama Ruth Cardoso


“Dona Marisa foi o esteio de sua família, a base para que Lula pudesse se dedicar de corpo e alma à luta pela construção de um outro Brasil, mais justo, mais solidário e menos desigual, desde as primeiras reuniões sindicais na Vila Euclides, passando pela fundação do PT e da CUT, até a chegada à Presidência da República”, disse Dilma.

Adversários políticos de Lula também entraram em contato com o ex-presidente para expressar solidariedade. Caso do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do ministro José Serra (PSDB), e do senador Aécio Neves (PSDB-SP), presidente nacional do partido.

LEIA MAIS: Velório de Marisa será no Sindicato dos Metalúrgicos onde ela conheceu Lula

Além de FHC, Lula recebeu visitas dos os ex-ministros Aloizio Mercadante, Celso Amorim, Alexandre Padilha, Fernando Haddad, Guido Mantega e Miguel Jorge e dos senadores Gleisi Hoffmann, Jorge Viana, Humberto Costa e Lindbergh Farias, todos do PT.

* Com informações da Agência Brasil.

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.