Tamanho do texto

Instituição estadual enfrenta crise que tem gerado prejuízos às atividades acadêmicas e aos atendimentos do Hospital Universitário Pedro Ernesto

Rio de Janeiro: Uerj enfrenta um problema de falta de recursos que tem causado prejuízos às atividades acadêmicas
Tomaz Silva/Agência Brasil - 18.01.17
Rio de Janeiro: Uerj enfrenta um problema de falta de recursos que tem causado prejuízos às atividades acadêmicas

Cerca de 50 estudantes e funcionários da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) fizeram, nesta quarta-feira (18), um ato em defesa da instituição. A universidade enfrenta um problema de falta de recursos que tem causado prejuízos às atividades acadêmicas e aos atendimentos do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe).

Protesto contra a precarização da Uerj pede que Pezão deixe o governo do RJ

Os manifestantes se reuniram no Largo do Machado, zona sul do Rio, e seguiram em direção ao Palácio Guanabara, sede do governo fluminense. De acordo com a estudante de ciências sociais da Uerj , Natália Trindade, estas recorrentes manifestações buscam despertar a opinião pública da sociedade para os problemas que a universidade enfrenta. Ela diz que esta é a única forma de conseguir apoio, já que o governador não dialoga com os estudantes e servidores.

“A população precisa nos dar este apoio. A Uerj é um patrimônio do nosso estado. Ela não é minha, é de todos. Nossa situação hoje é triste, lamentável. Se uma pessoa entrar em qualquer um dos campus terá uma sensação de que falta absolutamente tudo. Só não estamos piores que as delegacias, pois ainda temos folhas de papel-ofício. De resto, falta tudo: limpeza, alimentação, ventiladores, etc. Estamos reivindicando o básico para que a Uerj sobreviva”, explicou.

"A Uerj está sendo sucateada", diz reitor em carta direcionada ao governo do Rio

O coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Educação, da Universidade Federal Fluminense, Carlos Abreu, participou do ato, segundo ele, para reforçar uma luta que deveria ser de todos. “É um ditado batido, mas a união faz a força. A Uerj, diferentemente de nós, é do estado, mas nós também passamos por problemas já que o governo federal não nos dá nada. Então é extremamente necessário estarmos aqui fazendo coro com nossos irmãos", afirmou.

"O que está sendo feito com estes jovens e os servidores em geral é um ataque desumano. Que se cortem os gastos na própria carne dos políticos e não na nossa educação. Educação é a maior riqueza que este país deveria ter," complementa Carlos Abreu.

Sem receber, policiais civis e agentes penitenciários fazem paralisações no Rio

Aulas

Os alunos da Uerj tiveram suas aulas adiadas do dia 17 para o próximo dia 23.  A estudante Natália diz que realmente não há condição para o retorno às aulas por conta da escassez em todos os setores da instituição. Ela pediu que os estudantes sejam reconhecidos como a solução para a crise e não como um problema.

* Com informações da Agência Brasil