Héctor Valer, primeiro-ministro do Peru
Reprodução/Twitter
Héctor Valer, primeiro-ministro do Peru

Três dias após uma renovação da equipe do governo, o primeiro-ministro do Peru, Héctor Valer, entregou sua renúncia ao presidente Pedro Castillo. O motivo foram denúncias de que ele agrediu sua filha e a falecida esposa, em 2016.

A polícia conta com relatórios sobre os casos, mas o agora ex-ministro insiste em negar as acusações. Assim, Valer se torna um dos primeiro ministros que menos tempo ficou no cargo.

"Aceito a derrota, metralhado por jornais do Peru que pertencem a um grupo ligado à extrema direita do Peru que construiu uma imagem de agressor e violento", disse Valer a jornalistas peruanos.

Partidos de oposição, grupos de direitos humanos, feministas, grupos indígenas e até o próprio partido no poder pediram a saída de Valer e de alguns membros do gabinete, como do ministro do Meio Ambiente Wilber Supo, que sempre deu aulas de geografia, mas que não carrega conhecimento suficiente sobre meio ambiente.

O presidente Castillo anunciou recentemente a recomposição de seu terceiro gabinete, mas falta declarar quais serão os novos nomes. Isso ocorre pela quarta vez em seu mandato.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários