Desabamento
Divulgação
Desabamento

As operações de busca por sobreviventes do desabamento de um prédio em Miami, nos EUA, entraram neste sábado em seu terceiro dia, com um balanço  de quatro mortos e 159 desaparecidos. Enquanto isso, as autoridades investigam o que pode ter ocorrido e apontam, segundo o New York Times, que, em 2018, o laudo de um engenheiro apontou falhas na estrutura do condomínio Champlain Towers South.

De acordo com as informações, o consultor encontrou evidências de “grandes danos estruturais” na laje de concreto abaixo do deck da piscina e “abundantes” rachaduras e desmoronamento das colunas, vigas e paredes do estacionamento sob o prédio de 12 andares. O relatório também identificou a entrada de água pelas janelas e portas das varandas, e o concreto de muitas sacadas se deteriorando.

O engenheiro em questão teria sido contratado para ajudar a formular um projeto de reforma multimilionário, mas que ainda não havia começado.

“Embora alguns desses danos sejam pequenos, a maior parte da deterioração do concreto precisa ser reparada em tempo hábil”, escreveu Frank Morabito em seu relatório em outubro de 2018. O engenheiro não deu nenhuma indicação de que a estrutura estava em risco de desabamento, mas observou que os reparos necessários seriam destinados a “manter a integridade estrutural” do edifício e de suas 136 unidades.

A causa do desabamento ainda é desconhecida. Porém, imagens capturadas por uma câmera de segurança nas proximidades mostraram um lado inteiro do prédio desmoronando em duas seções, uma após a outra. Especialistas afirmam que a avaliação de possíveis cenários de falha pode levar meses.

O edifício faz parte do condomínio Champlain Towers South, que terminou de ser construído em 1981, tem mais de 100 apartamentos e está localizado na Avenida Collins enterrados nos escombros.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários