Bruno Covas
Reprodução: iG Minas Gerais
Bruno Covas

Políticos lamentaram a morte do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), anunciada na manhã deste domingo .

Covas, de 41 anos, estava internado no Hospital Sírio-Libanês, na capital paulista, desde o último dia 2, quando pediu licença da prefeitura. Ele havia sido diagnosticado com câncer na cárdia, uma válvula entre o esôfago e o estômago em outubro de 2019 e vinha lutando contra a doença desde então.

O presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), lembrou que trabalhou com Covas na Câmara e o chamou de "jovem talento na política". Lira ainda elogiou a atuação de Covas durante a pandemia à frente da prefeitura.

“Lamento profundamente o falecimento do prefeito de São Paulo, um jovem talento na política, que travou com coragem e otimismo uma árdua batalha. Como deputado federal, foi meu colega na Comissão de Constituição e Justiça, em 2015, com quem tive a honra de trabalhar”, disse em uma rede social. “Admiro a forma aguerrida como conduziu a pandemia na maior cidade do País e como fez sua campanha de eleição para a prefeitura. Meus sentimentos aos familiares, amigos e em especial ao seu filho Tomás”.

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), agradeceu a dedicação do companheiro de partido e reforçou sua força e caráter. "Obrigado, Bruno Covas, por ter compartilhado, com todos nós, tanto carinho e dedicação. À Renata e ao Pedro, seus pais, ao Gustavo, seu irmão, e especialmente ao Tomás, seu filho, meu afeto nesse momento doloroso em que a natureza subverte o curso da vida. São Paulo terá sempre muito orgulho desse filho querido".

O governador ressaltou que Covas será um "eterno exemplo" para todos. "A força de Bruno Covas vem do seu exemplo e do seu caráter. Foi leal à família, aos amigos, ao povo de São Paulo e aos filiados do seu partido, o PSDB. Sua garra nos inspira e seu trabalho nos motiva".

Covas foi vice de Doria na Prefeitura de São Paulo. Assumiu a Prefeitura em abril de 2018, quando Doria saiu para disputar a eleição para o governo do estado. No texto à imprensa, o governador relembrou a trajetória do correligionário na política. "Tive o privilégio de acompanhá-lo desde o início da vida pública, ao lado do seu avô Mario Covas. Tive a honra de tê-lo como vice, na Prefeitura de São Paulo. E a alegria de ver seus ideais e realizações aprovados nas eleições de 2020".

Doria ainda ressaltou as qualidades de Covas. "Bruno Covas era sensível, sereno, correto, racional, pragmático e ponderado. Voz sensata, sorriso largo e bom coração. Bruno Covas era esperança. E a esperança não morre: ela segue, com fé, nas lições que ele nos ofereceu em sua vida".

O ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, escreveu em uma rede social que o prefeito era inteligente e deixou um legado para a cidade de São Paulo e para o Brasil.

Você viu?

"Quero abraçar a família do prefeito Bruno Covas, que faleceu hoje, meu amigo, bem humorado, inteligente, possuidor de espírito público. Deixou legado de trabalho e de amor a São Paulo e ao Pais. Descanse em paz".

Já Fábio Faria, ministro das Comunicações, desejou força para os amigos e familiares do prefeito.

"Triste notícia do falecimento do prefeito Bruno Covas, meu colega de Câmara dos Deputados. Que Deus o receba e conforte os familiares e amigos neste momento de dor".

Parlamentares também lamentam

Da família do presidente Jair Bolsonaro o primeiro a se pronunciar foi o senador Flavio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Em uma rede social, o senador escreveu:

"Sua postura à frente da maior cidade do Brasil, com dedicação absoluta até o último minuto que pôde, serve de inspiração a todos na vida pública. Que Deus o tenha e conforte a família."

Em nota, o ex-presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP) afirmou que Covas lutou “até o último instante” e elogiou o caráter do político.

“Muito triste com a partida do prefeito Bruno Covas (PSDB -SP). Lutou com bravura e destemor até o último instante. Das vezes em que estivemos juntos, guardo a melhor impressão dos gestos de homem público forte, decente e de muito caráter. Que Deus o receba em sua morada e dê força e entendimento aos que ficam, sobretudo aos familiares, especialmente ao seu filho Tomás. Perdemos um homem de valor e a cidade de São Paulo perde um político de princípios”.

Rodrigo Pacheco, Presidente do Congresso Nacional, também falou. "Bruno Covas era, sem dúvida, um dos maiores quadros da nossa geração, representante dos ideais da social democracia, valores defendidos pelo seu partido, o PSDB, que teve entre os fundadores o seu avô, Mário Covas. Em 2015, ingressamos juntos na Câmara dos Deputados, onde convivemos até ele assumir o cargo de vice-prefeito de São Paulo, em 2017. Em 2019, tornou-se prefeito da capital e, no ano seguinte, em meio ao tratamento da doença, foi reeleito à prefeitura de São Paulo no primeiro turno das eleições. Uma carreira vitoriosa, tristemente interrompida hoje", apontou.

O ex-deputado Fernando Capez, atualmente é secretário especial de Defesa do Consumidor de São Paulo, foi outro que manifestou pesar. "Nunca reclamou, nunca ofendeu, sempre lutou. Combateu o bom combate e agora é recebido por Deus. Lembraremos dele por esse sorriso no rosto e por sua inabalável coragem e força para governar a maior cidade da América Latina. Oremos pelos pais, pelo Tomás e pela família. Descanse em paz amigo", disse.


    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários