Operações policiais no Jacarezinho são as que têm maior taxa de mortes entre as favelas do Rio
Reprodução/redes sociais
Operações policiais no Jacarezinho são as que têm maior taxa de mortes entre as favelas do Rio

Uma pesquisa realizada pelo Grupo de Estudos dos Novos Ilegalismos da Universidade Federal Fluminense (Geni/UFF) demonstrou que as operações policiais realizadas na comunidade do Jacarezinho , Zona Norte do Rio de Janeiro, são as mais violentas e letais em comparação com as outras favelas. As informações são do jornal O Globo.

De acordo com o ranking dos dez locais da Região Metropolitana do Rio, a comunidade do Jacarezinho apresenta a maior taxa de óbitos por operação. Na última quinta-feira (06), 28 pessoas morreram.

O banco de dados criado pela Universidade Federal Fluminense demonstrou que, de 2007 até março de 2021, ocorreram 186 óbitos em 290 ações políciais no local. Uma taxa de 6,4 mortes em cada dez ações dos agentes de segurança. O cenário no Jacarezinho é pior do que bairros com favelas muito maiores, como Santa Cruz e Costa Barros - que apresentam 5 e 4,8 mortes a cada dez operações, respectivamente. Estas ocupam a segunda e a terceira colocação na pesquisa.

Você viu?

A pesquisa também indica o número de operações que apresentam alta taxa de letalidade - ou seja, com três ou mais mortes. Jacarezinho, que possui um dos piores Índices de Desenvolvimento Humano (IDHs) do Rio , também é líder no quesito. Desde 2007, foram 21 operações que apresentaram mais de três óbitos. Uma taxa de 7,2 operações com alta letalidade a cada 100 ações. Santa Cruz e Costa Barros seguem na sequência, com 6,6 e 5,2 operações policiais com três ou mais mortes a cada 100 incursões policiais.


É possível observar também que o aumento na letalidade nas operações possui um paralelo diretamente proporcional com a morte de policiais no Jacarezinho. Antes do policial civil ser vítima de um tiro na cabeça, na última semana, o mês de agosto de 2017 foi o que apresentou o maior número de oficiais de segurança vítimas da violência local.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários