Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados
O Antagonista
Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), alterou seu discurso nesta terça-feira ao afirmar que 100% dos pedidos de impeachment contra Jair Bolsonaro são "inúteis". Em entrevista na segunda-feira à rádio Jovem Pan,  Lira havia dito que não via motivos para a apresentação de 95% dos pedidos que estão sobre sua mesa.

A manifestação veio em plenário, quando presidia a sessão, após o deputado Henrique Fontana (PT-RS) apelar pelo prosseguimento de um pedido de impeachment.

"Não cabe a esta casa instabilizar, neste momento, por conveniência política de A ou de B. O tempo é o da Constituição, da conveniência política, da oportunidade. Os pedidos de impeachment, em 100%, e não 95% dos que eu já analisei, são inúteis para o que entraram e solicitaram", disse Lira.

Ele reclamou ainda que o ex-presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM-RJ) não era pressionado para abrir um processo contra Bolsonaro.

Você viu?

"Queria só pedir um pouco de reflexão ao deputado Fontana, eu não via esses apelos nos dois anos do ex-presidente Rodrigo Maia com 60 pedidos de impeachment na sua gaveta nesta Casa. Eu estou há dois meses, deputado Fontana, e pediria a vossa excelência um pouco mais de tranquilidade, um pouco mais de paciência."

Em seu discurso, Fontana disse atacou o governo, segundo ele um pária internacional, e disse que muitos apelidam a família de Jair Bolsonaro "corretamente de familícia".

"Abrir o processo de impeachment do presidente Bolsonaro é uma questão democrática. Eu não posso concordar com presidente Arthur Lira de que 95% dos pedidos de impeachment não têm consistência nenhuma. Eu vejo muita consistência em diversos desses pedidos. Mas eu quero ter o direito democrático de analisar os pedidos numa comissão processante", pediu Fontana.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários