Secretários de Saúde apontam as campanhas eleitorais como responsáveis por aumentos de casos
José Cruz/Arquivo/Agência Brasil
Secretários de Saúde apontam as campanhas eleitorais como responsáveis por aumentos de casos

O aumento recente nas notificações de casos da Covid-19 pode estar relacionado às campanhas eitorais em todo o Brasil. Em pelo menos cinco estado, secretários de Saúde já se manifestaram sobre o assunto, emitindo alertas à população.

No Amapá, onde o fluxo de pessoas na Unidades Básicas de Saúde (UBS) aumentou 300%, o secretário Juan Mendes proibiu eventos de campanha que causem aglomerações. Já na Bahia, o secretário Fábio Vilas-Boas descreveu o período como uma "maré alta" e recomendou que candidatos e eleitores prefiram as carreatas.

No Espírito Santo, o secretário de Saúde, Nesio Farnandes, encaminhou ao Tribunal Regional Eleitoral um ofício que solicita a suspensão de atividades coletivas de campanha. Em pernambuco, o TRE chegou a proibir atos com aglomeração após aumento no número e casos da doença.

Outros estados, como São Paulo, Ceará e Rio Grande do Norte também tiveram as campanhas eleitorais apontadas como responsáveis pelo súbit aumento de caso.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários