Sala de aula com carteiras e lousa, sem alunos ou professor
Luiza Moraes / Agência O Globo
Colégio Camões Pinochio, na Freguesia

Para orientar alunos, pais, professores e as escolas na volta às aulas, programada para na próxima segunda-feira na rede particular, o governo do Rio lançou uma cartilha com orientações, medidas adicionais de prevenção e controle para evitar o contágio da Covid-19 nos colégios .

Entre as recomendações está o uso de equipamentos de proteção individual (EPIs), manutenção frequente dos aparelhos de ar-condicionado, distanciamento de um metro a um metro e meio e desinfecção e limpeza dos ambientes.

A volta dos alunos deve ocorrer de forma gradual, segundo o manual, para evitar aglomerações. Entre os pontos abordados, o transporte escolar, por exemplo, deve ficar com as janelas abertas.

Recomendações gerais

  • O transporte escolar deve manter as janelas abertas para permitir a renovação do ar interior.
  • A higiene das mãos é uma das medidas mais importantes para o controle de doenças. Os funcionários das cantinas e refeitórios devem higienizar as mãos frequentemente.
  • Garantir o cumprimento da obrigatoriedade de utilização de máscaras para acesso e permanência dos funcionários docentes e não docentes e pelos alunos, de acordo com a legislação vigente, devendo ser observada a necessidade de troca de máscaras a cada 2 horas.
  • Deve-se lavar as mãos sempre que: chegar a escola, após tossir, espirrar ou assoar o nariz; após utilizar os sanitários, quando interromper uma atividade e iniciar outra, após manusear dinheiro ou cartões de banco, transporte ou metrô, antes de colocar luvas descartáveis e após retirá-las. Na impossibilidade de lavar as mãos, higienizá-las com álcool em gel 70%.
  • Atividades de Educação Física, Artes e correlatas devem ser realizadas mediante cumprimento do distanciamento mínimo de 1m a 1,5m entre os alunos, preferencialmente ao ar livre, e sem uso de equipamentos ou materiais compartilhados.
  • Disponibilizar informação facilmente acessível a toda a comunidade escolar, por meio da afixação de cartazes em locais visíveis sobre a correta higienização das mãos, de acordo com o preconizado pelo Ministério da Saúde, a importância da etiqueta respiratória e da obrigatoriedade do uso da máscara;
  • Incentivar a adoção de etiquetas respiratórias e a lavagem de mãos com água e sabão ou higienização com álcool em gel 70% após tossir, espirrar, usar o banheiro, tocar em dinheiro, manusear alimentos cozidos, prontos ou in natura, manusear lixo ou objetos de trabalho compartilhados, tocar em superfícies de uso comum, e antes e após a colocação da máscara. A secagem de mãos deve ser feita com papel toalha;
  • Os intervalos ou recreios devem ser feitos com revezamento de turmas em horários alternados, respeitando o distanciamento mínimo de 1 m à 1,5 m entre os alunos, para evitar aglomerações;
  • Todas as superfícies podem ser fonte de contaminação , mas o risco deste contágio varia conforme a frequência de manipulação, de toque ou de utilização;
  • As superfícies com maior risco de contaminação são as de toque frequente , ou seja, as superfícies manipuladas ou tocadas por muitas pessoas e com muita frequência ao longo do dia. São exemplos destas superfícies: maçanetas de portas, interruptores de luz, telefones celulares, teclados e mouses de computadores, principalmente quando usados por várias pessoas, botões de elevadores, torneiras de lavatórios, botões de descarga, mesas, bancadas, cadeiras, corrimãos, dinheiro, controles remotos, entre outros. Essas superfícies devem ser higienizadas com mais frequência, de acordo com a rotina e a viabilidade, que deverá constar no Plano de Contingência.
  • Recomenda-se a instalação de dispensadores de álcool em gel 70% nos ambientes em que estejam presentes esses itens citados acima, lembrando-se do acesso fácil aos cadeirantes e às pessoas com necessidades especiais;
  • Disponibilizar os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) , máscaras, luvas descartáveis, óculos e touca, necessários para as atividades executadas pelos funcionários, principalmente quando envolver as atividades de limpeza, retirada e troca do lixo, manuseio e manipulação de alimentos ou livros e aferição de temperatura.
  • A limpeza deve ser realizada sempre no sentido de cima para baixo e das áreas mais limpas para as mais sujas: Paredes e teto (se aplicável); Superfícies acima do chão (bancadas, mesas, cadeiras, corrimãos, outros); instalações sanitárias; Chão é o último a ser limpo.
  • Recomenda-se que a brinquedoteca e outras salas/áreas com materiais de difícil higienização e controle sejam fechadas para evitar o acesso de alunos, incluindo ambientes sem ventilação natural ou artificial.

    Veja Também

      Mostrar mais