Entrevista coletiva do Ministério da Saúde de atualização das informações sobre a Covid-19
Anderson Riedel/PR
Entrevista coletiva do Ministério da Saúde de atualização das informações sobre a Covid-19

O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Correia de Medeiros, disse em entrevista coletiva nesta quinta-feira (18) que a estabilização da Covid-19 "parece ser uma realidade" no Brasil. "Os últimos dados de novos casos e óbitos tendem a nos mostrar que talvez estejamos chegando em uma estabilização dos casos. Isso nos parece ser uma realidade, mas precisamos avaliar os dados epidemiológicos nas próximas semanas", disse.

Leia também:

Apesar de destacar essa tendência que indica um cenário de melhora, Medeieros lembrou que a sazonalidade no Brasil é um complicador para fazer esse tipo de análise.

"Somos um País continental e temos diferenças. O inverno no Sul está começando agora, que tem características de doenças de temperatura menor. É uma preocupação porque, classicamente, a região Sul em relação a Covid-19 não foi tão intensa quando comparada com Norte ou Nordeste. Estamos bastante preocupados e atentos com o que poderá acontecer com o Sul e Sudeste com a chegada do inverno", afirmou.

Nesta quinta, o secretário-executivo da pasta, Élcio Franco, anunciou também uma portaria que será publicada em edição extra do Diário Oficial da União ainda hoje ou amanhã. O texto, de acordo com Franco, não será normativo, mas dará orientações para as atividades em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Segundo ele, o documento foi trabalhado com Conass (Conselho Nacional de Secretários de Saúde) e Conasems (Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde) e trata do uso de máscaras e álcool em gel e de indicações para transportes públicos, por exemplo. "Isso vai possibilitar mitigação do espalhamento do nosso vírus", disse Franco.

Por conta de as orientações não serem de adesão orbigatória, o secretário-executivo ainda explicou que os gestores estaduais e municipais é que precisarão analisar uma série de fatores para decidir o que deve ou não reabrir nas suas regiões.

Ainda sobre a portaria, Franco disse que ela não é decorrente da verificação de que o Brasil "chegou num platô" ou parecer que já atingiu o pico da Covid-19.

    Veja Também

    Mais Recentes

      Comentários