Aula de dança
Def Dance
Aulas de dança são muito populares na Coreia do Sul, graças ao k-pop e ascensão de ritmos latinos

Mais de 100 pessoas contraíram o novo coronavírus (Sars-CoV-2) após apenas uma aula de dança em Cheonan, na Coreia do Sul. As infecções aconteceram em fevereiro, mas foram identificadas apenas em março, segundo a Universidade de Dankook. 

LEIA MAIS: Durante pandemia, festa com 3 mil pessoas na Flórida tem 7 presos

Quase 30 instrutores participaram da aula. Eles treinaram de forma intensa por quatro horas, e apesar de estarem assintomáticas, oito pessoas testaram positivo para o vírus.

“Todos estavam assintomáticos no dia da aula, em fevereiro”, aponta o estudo, que foi publicado em um jornal científico. “No dia 9 de março, identificamos 112 casos de Covid-19 associados à aula de dança, em 12 regiões diferentes de Cheonan”.

Segundo a Universidade de Dankook, os instrutores foram responsáveis por mais da metade das contaminações. Em média, os alunos demonstraram sintomas da doença quatro dias após as infecções.

Antes que as academias fechassem as portas na Coreia do Sul, mais de 217 alunos foram expostos ao novo coronavírus em 12 estabelecimentos, conferindo uma taxa de ataque de 26,3%. Aulas de dança ficaram muito populares no país, graças ao fenômeno do k-pop e a ascensão de ritmos latinos, como a Zumba. “Um ambiente com ar-condicionado e muitas pessoas ofegantes é ideal para o espalhamento do novo coronavírus”, conclui o estudo. 

    Veja Também

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      Comentários