Tamanho do texto

Caso também envolve manifestação do procurador nas redes sociais contra candidatura de Renan Calheiros para a presidência do Senado

Deltan Dallagnol coçando a cabeça arrow-options
Fernando Frazão / Agência Brasil
Deltan também responde a outro processo disciplinar por ter feito críticas ao STF

O Conselho Nacional do Ministério Público ( CNMP ) decidiu nesta terça-feira (10), por 11 votos a 3, abrir mais um processo administrativo disciplinar contra o procurador Deltan Dallagnol , coordenador da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba, por quebra de decoro decorrente de suposta interferência nas eleições de 2018.

A reclamação foi apresentada pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL), que também apontou irregularidades em manifestações feitas por Deltan nas redes sociais contra a candidatura de Renan à Presidência do Senado, à qual ele foi derrotado.

Com a abertura do processo administrativo, o procurador terá a oportunidade de se defender e, ao fim do procedimento, será submetido a julgamento, que pode resultar em sanções administrativas.

Leia também: Deltan Dallagnol processa Gilmar Mendes por danos morais

Na mesma sessão, foi negada uma reclamação da senadora Kátia Abreu (PDT-TO) contra o procurador. Ela o acusava de ter cometido falta funcional por compartilhar uma reportagem que citava pagamentos de caixa dois à senadora — com base na delação da Odebrecht, a acusação acabou sendo arquivada por falta de provas.

No mês passado, o CNMP aplicou uma "advertência" a Deltan em um processo disciplinar no qual ele é acusado de cometer irregularidade funcional por ter feito críticas a integrantes do STF em uma entrevista a uma rádio . Os conselheiros entenderam que ele excedeu as funções de procurador e aplicaram a penalidade, que não tem nenhum efeito prático.