Tamanho do texto

Natural de Ceilândia (DF) e defensora dos direitos dos surdos, Michelle teve atuação discreta na campanha do marido e raramente faz aparições públicas

Michelle Bolsonaro
Divulgação/PSL
Michelle Bolsonaro

Discreta e isolada na maior parte da campanha eleitoral, Michelle de Paula Firmo Reinaldo Bolsonaro, 36, é a mais nova primeira-dama do Brasil . Natural de Ceilândia (DF), Michelle é mãe de Letícia, filha de outro casamento, e Laura, a caçula de Jair Bolsonaro. Conheceu o marido em 2007, quando trabalhava como secretária parlamentar na Câmara dos Deputados, e se casou no civil em novembro daquele mesmo ano. A cerimônia religiosa, celebrada pelo pastor Silas Malafaia, aconteceu seis anos depois, no Rio de Janeiro.

Leia também: Quem é Jair Messias Bolsonaro, eleito o novo presidente do Brasil

Michelle Bolsonaro foi exonerada do cargo no gabinete do marido em 2008, após o Supremo Tribunal Federal (STF) proibir a contratação de parentes até terceiro grau. Evangélica, a nova primeira-dama frequentou durante anos a sede da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (Advec), fundada por Malafaia, mas se tornou fiel da Igreja Batista Atitude logo depois de conhecer Bolsonaro. Por lá, Michelle se destaca na atuação com surdos e mudos, traduzindo cultos para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Em entrevista a um canal do YouTube, a nova primeira-dama contou como começou a se interessar pela causa dos surdos e mudos e por aprender a língua de sinais. Michelle disse que tem um tio surdo, que lhe ensinou o alfabeto em Libras , e que conheceu um casal de surdos na Advec que lhe fez descobrir o amor pela língua de sinais. No vídeo, publicado em 14 de outubro, a nova primeira-dama diz, em Libras, que gostaria que todos aprendessem a língua de sinais para interagir com as pessoas surdas.

Leia também: Facada em Bolsonaro reforçou figura de "mito" e o ajudou a esconder falhas

Michelle raramente faz aparições públicas com o marido, que evita envolver a nova primeira-dama em questões político-partidárias. Em "Mito ou verdade", biografia de Bolsonaro escrita pelo filho Flávio, eleito senador no último dia 7, não há nenhuma referência a Michelle. Sua ausência é intencional: seria uma estratégia para preservá-la, especialmente durante o período eleitoral, em que ataques e exposições são muito comuns. É por isso, também, que a primeira-dama não tem perfil ativo no Facebook.

Leia também: Conheça os prováveis futuros ministros do novo presidente eleito, Jair Bolsonaro

Uma das poucas aparições de Michelle Bolsonaro na internet aconteceu no mês passado, nas redes sociais do marido. Bolsonaro publicou um vídeo em homenagem ao Dia Nacional do Surdo, em que a futura primeira-dama aparece se comunicando em Libras. Na postagem, o novo presidente escreveu que Michelle sempre se dedicou a aprender com os deficientes auditivos e que continuará lutando pela comunidade surda. A nova primeira-dama, porém, aparece sozinha, e não ao lado do marido, como nas outras raras ocasiões.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas