Arábia Saudita culpa país estrangeiro por revolta no leste

Qatif, cidade que foi palco de protestos no início deste ano, teve uma revolta na segunda-feira que deixou 14 feridos

iG São Paulo |

A Arábia Saudita acusou um país estrangeiro de incitar uma revolta em sua região leste, rica em petróleo e de maioria xiita, palco de frequentes protestos no início deste ano, dizendo que 14 pessoas ficaram feridas em confrontos na noite de segunda-feira.

O governo saudita, no entanto, não identificou o país. "Um país estrangeiro tenta minar a segurança nacional ao incitar a revolta na (cidade de) al-Qatif", disse o Ministério do Interior, segundo a televisão estatal saudita.

A referência a um país estrangeiro que estaria interferindo na região xiita é geralmente uma citação ao Irã, potência xiita e rival saudita. Dos feridos, 11 eram seguranças e três civis, segundo o comunicado.

De acordo com a agência de notícias SPA, o ministério afirmou que "um grupo de bandaleiros em motos" se reuniu na vila de al-Awamia, perto da cidade de Qatif, "carregando coquetéis molotov".

Em março, a polícia saudita abriu fogo para dispersar manifestantes na cidade, um dia antes de ocorrer manifestações antigoverno planejadas para todo o país. Os manifestantes, da minoria xiita, reivindicavam a libertação de prisioneiros que afirmavam terem sido presos sem acusações formais.

Manifestações são ilegais na Arábia Saudita, que tem uma monarquia absoluta desde sua unificação, nos anos 1930. Grupos de direitos acusaram a polícia de bater nos manifestantes antes de marchas em Qatif.

Os xiitas compõem cerca de 10% da população da Arábia Saudita, de maioria sunita. A Arábia Saudita não teve protestos na mesma escala que outras nações no Oriente Médio e norte da África durante a chamada Primavera Árabe .

*Com Reuters e BBC

    Leia tudo sobre: arábia sauditamundo árabexiitasunita

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG